Seychelles receberá cruzeiros de volta em novembro

|

Divulgação / GVA
No dia 14 de novembro, o MS Island Sky será o primeiro navio de cruzeiro a navegar para Seychelles desde março de 2020, marcando o início da temporada de cruzeiros 2021/2022 no destino. Conforme decisão das autoridades do país em março de 2021, relacionado ao tamanho dos navios e à limitação da capacidade de transporte de passageiros, as Seychelles receberão apenas navios menores com um máximo de 300 passageiros.

O Island Sky, operado pela Noble Caledonia, com sede em Londres, é um navio de cruzeiro relativamente pequeno com capacidade para 118 passageiros; com operações regulares nas águas das Seychelles antes da pandemia, o navio fará escala em quatro das ilhas externas das Seychelles: Aldabra, Assomption, Farquhar e Cosmoledo. O MS Island Sky será seguido por outros pequenos navios de cruzeiro ao longo da temporada.

O secretário principal de Aviação Civil, Portos e Marinha, Alan Renaud, disse que ao longo de 2020, trabalhando em colaboração com as autoridades de saúde, o departamento de Turismo, a autoridade portuária e a indústria como um todo implementaram novos procedimentos para permitir a retomada segura das visitas de navios de cruzeiro às Seychelles.

Para facilitar o reinício das operações de navios de cruzeiro, o Departamento de Aviação Civil, Portos e Marinha desenvolveu uma lista de verificação de empresas e navios de cruzeiro para operadores de navios de cruzeiro e um plano de gerenciamento de portos paralelo para as autoridades a ser apresentado no próximo mês.

Os documentos complementares foram baseados em orientações publicadas em conjunto pela Agência Europeia de Segurança Marítima (EMSA) e o Centro Europeu de Controle de Prevenção de Doenças (ECDC) e endossados pela Organização Marítima Internacional (IMO), e adotam uma abordagem baseada em objetivos, identificando medidas a serem tomadas a bordo dos navios e em terra para garantir a segurança das operações contra a covid-19.

"Os documentos descrevem as responsabilidades respectivas das agências locais e dos navios de cruzeiro em relação aos assuntos da pandemia, identificação de recursos e pessoal, passageiros e arranjos do terminal em todos os portos de escala, as contingências em caso de surto do vírus, a proteção das comunidades visitadas pelo navio e, de um modo geral, a coordenação entre cruzeiros e portos em relação ao covid-19”, disse Renaud.

O departamento também vai lançar uma versão marítima do atual sistema de autorização de viagens, que será adaptado aos navios de cruzeiro e iates, servindo simultaneamente como um sistema de proteção da saúde, bem como um sistema de controle de fronteira aprimorado para os navios que chegam. A edição marítima será integrada aos sistemas dos navios e será um processo contínuo, sem papel e sem toque para os passageiros de embarque e desembarque e para os próprios navios.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA