Com passe internacional, Jackson Hole mira luxo no Brasil | Destinos | PANROTAS
DESTINOS

Com passe internacional, Jackson Hole mira luxo no Brasil

Jhonatan Soares
 Julianne Calder, diretora de Vendas do Jackson Hole para América Latina, lançou a temporada de esqui 2018/2019 para o público brasileiro
Julianne Calder, diretora de Vendas do Jackson Hole para América Latina, lançou a temporada de esqui 2018/2019 para o público brasileiro

A aposta de Jackson Hole no Brasil continua. O destino de esqui do Estado de Wyoming lançou, em evento hoje, em São Paulo, a temporada 2018/2019 de inverno para o público brasileiro. O objetivo? Atrair viajantes de luxo para um dos cinco hotéis de alto padrão do pequeno vilarejo que rodeia a estação e continuar, assim, com o bom crescimento entre brasileiros da última década - a média é de 20% de alta desde 2005, o que levou o destino a abrir representação do Brasil em 2015, mantida até o momento.

Além de lançar a próxima temporada para o público brasileiro, com início no final de novembro e final apenas em abril do ano que vem, a diretora de Vendas do Jackson Holte Resort Lodging para América Latina, Julianne Calder, aproveitou para anunciar duas novidades do destino.

Uma delas é a abertura de uma nova estação de esqui exclusivamente para os menos familiarizados com o esporte: a Solitude, com inauguração prevista para dezembro deste ano e voltado para ensinar jovens e iniciantes.

Divulgação Jackson Hole
Além de pistas de maior dificuldade, Jackson Hole contará a partir de dezembro com a nova estação de esqui Solitude, voltada para aulas aos iniciantes
Além de pistas de maior dificuldade, Jackson Hole contará a partir de dezembro com a nova estação de esqui Solitude, voltada para aulas aos iniciantes

"Terá uma escola de esqui, tanto para crianças quanto para quem nunca esquiou, como é o caso de muitos brasileiros, já que eles não tem neve no País. Então mesmo quem não tem experiência no esporte não precisa ter medo: equipes específicas para isso treinarão os principiantes em pistas mais leves", explica a executiva do destino estadunidense.

A segunda é a inclusão do Jackson Hole no passe que permite entrada em boa parte das mais conhecidas estações de esqui de todo o globo: o Ikon Pass, que revelou ontem (13) também na capital paulista seu produto para a próxima temporada de esqui do Hemisfério Norte. Os consumidores com o passe terão direito a esquiar e subir em 36 montanhas, localizadas nos Estados Unidos, no Canadá, no Japão e na Austrália - incluindo, a partir deste ano, o destino de Wyoming.

COMO SE DIFERENCIAR?
Disputando contra as estações mais conhecidas do Estado vizinho Colorado, como Aspen e Vail, Jackson Hole destaca o fato de ser porta de entrada de um dos mais famosos parques estadunidenses: o Yellowstone, procurado por seus gêiseres, montanhas e vida animal.

Shutterstock
Cinco milhões de pessoas vão à cidade no verão para acessar os parques vizinhos - Yellowstone e Grand Teton
Cinco milhões de pessoas vão à cidade no verão para acessar os parques vizinhos - Yellowstone e Grand Teton

"Para você ter ideia, por mais que Jackson Hole seja conhecida por sua estação de esqui, a alta temporada da cidade acontece mesmo durante o verão: cinco milhões de pessoas nos visitam durante a estação para fazer passeios no parque Yellowstone, além do Grand Teton National Park, ambos a aproximadamente uma hora de distância."

Para ela, aliar os dois parques aos cenários montanhosos de Jackson Hole fazem do destino forte assim no verão eno inverno, quando 500 mil pessoas vão à cidade em busca da neve e do esqui.

MERCADO BRASILEIRO E AS CASAS DE ALUGUEL
Para Julianne, o destaque entre os brasileiros é o condomínio de casas de aluguel de Jackson Hole: casas de luxo, que contam com uma a cinco suítes, tem tornado-se populares entre os turistas nacionais, é responsável por acomodar boa parte deles no vilarejo da estação de esqui.


Jhonatan Soares
Kate Brown, do Noble House Hotels, e  Kent Elliot, diretor global de Vendas da Câmara de Comércio de Jackson Hole, com Julianne
Kate Brown, do Noble House Hotels, e Kent Elliot, diretor global de Vendas da Câmara de Comércio de Jackson Hole, com Julianne

"Principalmente famílias e grupos de amigos e casais, que dividem os custos, hoje preferem muitas vezes alugar uma das casas a ficar nos hotéis. Tem cozinha, jacuzzi, sala de jantar privativa... E funciona como um hotel, com atendimento e limpeza diária do espaço", explica Julianne Calder.

As casas de alto padrão reforçam ainda o argumenta de que o foco no Brasil são viajantes de luxo, ou ao menos comporte financeiro para acessar os condomínios com residências de aluguel ou um dos hotéis da região - o mais visitado por brasileiros, por exemplo, é o Four Seasons Resort Jackson Hole.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA