EUA proibirá visitas guiadas na Estátua da Liberdade

|


Bicad Media/ Unsplash
Justificativa é superlotação e comportamento inadequado
Justificativa é superlotação e comportamento inadequado
A partir de 16 de maio o Serviço Nacional de Parques dos Estados Unidos proibirá visitas comerciais guiadas ao pedestal da Estátua da Liberdade e Museu da Imigração na Ilha Ellis, em Nova York. Segundo o portal Travel Weekly, o argumento é que o aumento de visitas guiadas criou problemas como superlotação e comportamento inadequado.

Mesmo que cerca de 4% dos visitantes da Estátua da Liberdade cheguem com um grupo de turistas (a maioria vai por conta própria), esses grupos causam um "número desproporcional de problemas", de acordo com o Serviço Nacional de Parques.

A justificativa é que os grupos lotam as entradas e obstruem o fluxo de tráfego, e que os guias são conhecidos por “falar muito alto e entrar em discussões com outros líderes”. A Associação de Guias de Nova York é contra a nova regra, alegando que a ação resultará em perda de empregos e "impactará negativamente a experiência do visitante".

A Statue Cruises, que realiza itinerários de barco ao monumento, disse que cerca de 250 mil pessoas realizaram passeios comerciais em 2018, um aumento de seis vezes em relação a uma década atrás.


*Fonte: Travel Weekly

conteúdo original: https://bit.ly/2VDkweS
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA