Chile fecha parques, reservas e monumentos nacionais

|


Divulgação
O fechamento de outras unidades está sob avaliação permanente da Conaf
O fechamento de outras unidades está sob avaliação permanente da Conaf
Na última segunda-feira (16), o presidente do Chile, Sebastián Piñera, anunciou novas medidas restritivas para impedir a disseminação do coronavírus, como o fechamento de fronteiras para circulação de estrangeiros e multas e outras penalidades para quem não respeitar a quarentena obrigatória. Além disso, a Corporação Nacional Florestal do Chile (Conaf) determinou o fechamento de alguns dos parques, reservas e monumentos nacionais sob sua administração.

De acordo com o órgão, está suspensa a entrada de visitantes nacionais e estrangeiros nos parques Radal Siete Tazas, na região do Maule; Laguna del Laja, em Bío Bío; Confuillío, em Araucanía; Vicente Pérez Rosales e Puyehue, na região de Los Lagos; e Torres del Paine, em Magalhães.

Também serão fechadas as reservas nacionais Los Flamencos, próxima a San Pedro de Atacama, e La Portada, ambos na região de Antofagasta; e Laguna Torca, em Maule. A Reserva Nacional Río Clarillo, na região central, já estava fechada devido ao risco de incêndio florestal com a seca. Já os monumentos naturais fechados são o Cerro Ñielol, em Araucanía, e Cueva del Milodon e Los Pinguinos, em Magalhães.

A Conaf afirma ainda que o fechamento de mais unidades está sob avaliação permanente, de acordo com a evolução da situação do país. Além disso, será fechado o Escritório de Informações, Reclamações e Sugestões (OIRS) do Ministério da Saúde e os centros de informações ambientais, localizados nas unidades do Sistema Nacional de Áreas Silvestres Protegidas do Estado (SNASPE), priorizando os procedimentos online e consultas por telefone ou canais digitais.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA