Turismo Consciente, do RJ, chega a 1,6 mil empresas cadastradas

|

Divulgação
Otavio Leite, secretário de Turismo do Rio de Janeiro
Otavio Leite, secretário de Turismo do Rio de Janeiro
Lançado este mês
, o projeto de retomada gradual do Turismo fluminense já conta com 1,6 mil empresas cadastradas. O número foi um dos destaques da reunião de trabalho realizada hoje (19) pela secretaria de Turismo do Rio de Janeiro, com a participação de representantes de associações e da iniciativa privada. Segundo o secretário da pasta, Otávio Leite, o número é satisfatório mas deve ser ampliado com o apoio de organizações que passaram a endossar a iniciativa.

De acordo com Leite, o programa, que tem como símbolos principais o manual "10 Mandamentos para o Turismo Consciente" e o Selo Turismo Consciente, vai exercer papel significante no movimento de retomada do setor.

Vale lembrar que as empresas interessadas em obter o selo precisam adotar medidas que demonstram o cuidado especial que o momento pede. Entre as ações estão a obrigatoriedade do distanciamento social de no mínimo um metro; uso de equipamentos de proteção individual; cumprimento de regras de higiene pessoal, tanto por parte dos profissionais quantos pelos clientes; e limpeza e higienização de ambientes.

Também é obrigatório para essas empresas prestar informações aos clientes sobre a importância das regras que estão sendo seguidas; o uso de tecnologias que dispensem aproximação ou contato físico; e o controle de qualidade, que determina que os empresários terão que ficar atentos às regras específicas e atualizadas propostas para cada uma das atividades exploradas.

O secretário lembra ainda que as empresas que já contam com a certificação, mesmo que ainda fechadas, podem divulgar que a conseguiram, o que pode funcionar na atração de mais clientes. Ele ainda lembra que todos os detalhes do programa estão na página turismoconscienterj.com.br .

CONFLITO DE SELOS
Leite ainda afirma que o selo do turismo fluminense não gera conflitos com a iniciativa de mesma característica lançada pelo MTur. Para o secretário, ambas as chancelas são importantes e podem ser garantias de segurança para os consumidores.

"O que nos difere é que com esse programa estamos promovendo o encontro entre duas faces da mesma moeda, o consumidor e o produto. A nossa campanha é tão importante para público final como para o empresário e atende às necessidades dos dois", afirma. "Acredito também que esse tipo de protocolo, por ter uma plataforma que o sustenta, deve criar novo ambiente na relação entre consumidor e produto, sem intermediações", complementa.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA