França tira barreiras a turistas; brasileiros ainda precisam de quarentena

|

A partir do dia 9 de junho, a França irá aliviar as restrições de entrada ao país. O destino está entre os países da União Europeia que têm mantido algumas das medidas mais rigorosas em relação à covid-19 desde 2020.

Visitantes do Brasil, Argentina, Bangladesh, Chile, Guiné, Índia, África do Sul, Paquistão, Nepal, Qatar, Sri Lanka, Turquia, Emirados Árabes Unidos, Colômbia, Bahrein, Costa Rica e Uruguai devem apresentar um teste negativo feito pelo menos 36 horas antes da viagem e estão sujeitos a quarentena de dez dias. Esses visitantes da lista restrita, onde está o Brasil, só poderão viajar dentro dos critérios estabelecidos pelo governo, para viagens essenciais. Não há viagem a Turismo autorizada, nem com quarentena.

"Os cidadãos provenientes dessa lista não podem ingressar na França a menos que sejam residentes permanentes ou que mostrem um motivo imperioso. Esses cidadãos, sim, têm que fazer a quarentena de 10 dias, fazer um teste PCR menos de 36h e um na chegada (no aeroporto). Após 7 dias, um último", explica o Escritório de Turismo da França no Brasil. Turistas do Brasil continuam proibidos, mesmo com uma possível quarentena.

Unsplash
França alivia restrições de entrada ao país
França alivia restrições de entrada ao país
As restrições às viagens domésticas já foram suspensas desde 3 de maio, permitindo que os residentes viajem novamente dentro do país. Além disso, o toque de recolher noturno, que está em vigor desde 16 de janeiro, foi encurtado das 21h às 6h em 19 de maio e é previsto que seja adiado ainda mais, das 23h às 6h, a partir de 9 de junho e que seja totalmente suspenso até 30 de junho.

Os viajantes que entram na França de um país fora da UE para fins essenciais estão sujeitos à quarentena de sete dias no local de sua escolha. Turistas vacinados da lista verde de países, como Japão, Austrália e Israel, além de europeus, não precisarão mostrar testes negativos.

“Para os países que estão fora do espaço europeu, vamos trabalhar com listas e cores. Haverá os países verdes, os países laranja e os países vermelhos”, diz o secretário de Estado do Ministro para a Europa e Relações Exteriores, Jean-Baptiste Lemoyne.

E, de acordo com declaração do presidente francês Emanuel Macron, a partir de 9 de junho, as restrições serão relaxadas para viajantes portadores de um passaporte de saúde, que deverá comprovar que o passageiro foi vacinado contra a covid-19 ou apresenta resultado negativo no teste.

 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA