Baía Formosa: 10 passeios na Terra de Ítalo Ferreira no RN

|

PANROTAS / Artur Luiz Andrade
Último grande destino turístico do Rio Grande do Norte antes de chegarmos na Paraíba, Baía Formosa, ou somente BF, ou ainda a cidade de pouco mais de 9 mil habitantes onde cresceu e ainda mora o medalhista de ouro no surfe, Ítalo Ferreira, oferece surpresas, cenários, cores e sabores aos visitantes, que ainda desconhecem esse potencial. Geralmente os turistas pernoitam em Natal ou Pipa, no litoral sul, e poucos fazem passeios bate e volta para BF ou mesmo para Barra do Cunhaú, um pouco antes.

De Natal para Baía Formosa, pela BR-101, leva-se cerca de uma hora e meia de carro, mesmo tempo para Pipa, pois para se acessar o famoso balneário é preciso fazer um percurso em uma estrada regional bastante sinuosa. Pelas praias é mais rápido e de Natal até Baía Formosa são três balsas no caminho – preferência por buggies ou carros 4 X 4.

PANROTAS / Artur Luiz Andrade
Ítalo Ferreira, medalha de ouro em surfe na Olimpíada de Tóquio
Ítalo Ferreira, medalha de ouro em surfe na Olimpíada de Tóquio

Baía Formosa tem cerca de dez praias sequenciais, a maioria deserta e algumas integradas a uma reserva particular (RPPN). Cada praia com sua característica e com uma série de passeios alternativos na natureza, incluindo dunas, trilhas pela Mata Estrela, a Lagoa de Araraquara, ou da Coca-Cola, por causa da cor da água, pequenos museus, um farol e muita gastronomia raiz, com lagosta, camarão e caranguejo feitos das mais diversas praias.

Alguns rios, como o Sagi e o Guajú, que separa o Rio Grande do Norte da Paraíba, também são atrativos e possuem barracas de comida, atrativos e até pousadas nas redondezas.

A região de Baía Formosa até Sagi (que faz parte do município, já na fronteira com a Paraíba) merecem uma visita de dia inteiro e até pernoite de algumas diárias. A terra de Ítalo Ferreira é um dos segredos mais bem guardados do Rio Grande do Norte, mas com a medalha de ouro na Olimpíada e a futura construção do primeiro Six Senses do Nordeste (o primeiro está em Campos do Jordão/SP), o segredo vais e espalhar rapidamente. As obras do Six Senses, envoltas em autorizações e burocracias, deve começar em 2022, segundo fontes ouvidas pela PANROTAS, mas este ano ainda devem ser inaugurados o Instituto Ítalo Ferreira e uma estátua do campeão em frente à praia do Pontal.

A reportagem da PANROTAS finalizava seu passeio na região, quando o campeão de surfe chegava de sua viagem ao México e, antes mesmo de ir para casa, parou para pegar algumas ondas no Pontal, acompanhado de amigos e dos pais. Melhor lugar para a sua estátua não há.

Confira abaixo 10 motivos para visitar Baía Formosa e virar, como Ítalo, embaixador do local. O Portal PANROTAS fez o passeio a convite da Luck Natal, de George Costa,

PANROTAS / Artur Luiz Andrade
Surfistas se reúnem no Pontal
Surfistas se reúnem no Pontal
1 –
No Pontal, parte da praia do Bacopari, está o local onde se encontram surfistas de todas as idades, e onde Ítalo Ferreira sempre está praticando e se divertindo (sua casa está a poucos metros dali). É emocionante ver meninos inspirados por eles já fazendo manobras radicais desde pequenos. Essa parte da praia é cheia de pedras e recifes na areia, portanto, quem quiser tomar sol e relaxar, deve seguir um pouco mais adiante.

PANROTAS / Artur Luiz Andrade
Praia do Porto
Praia do Porto
2 –
Antes do Pontal e Bacopari, vale passar na Praia do Porto, com visual lindo de falésias e onde as crianças começam a praticar surfe, em escolinhas da região. Fica bem no centro, daqueles com igrejinha no meio da praça, e tem um mirante para se apreciar toda a orla do Porto. Depois do Porto, e antes do Pontal, os surfistas fazem uma escala em Barreirinhas e na Praia do Farol, especificamente no Point Secret (Point Secreto), que para os guias locais virou mesmo Ponto Sete.

PANROTAS / Artur Luiz Andrade
Nivaldo e Cleuma Melo, do Chalemar
Nivaldo e Cleuma Melo, do Chalemar
3 –
No Pontal, bem em frente ao point de surfe, está uma das opções de hospedagens da região, o Chalemar, com cerca de 50 chalés na colina e vista para o mar. O dono, Nivaldo Melo, já foi prefeito da cidade algumas vezes, e hoje é sua filha, Camila Melo, que comanda o município. O hotel é bem espaçoso e bem localizado, com chalés privativos, mas é a chef Cleuma, esposa de Nivaldo, que abrilhante o lugar com suas iguarias, como a feijoada de frutos do mar, os peixes e o camarão no coco verde. Pare para almoçar por lá ou se arrependa depois.

PANROTAS / Artur Luiz Andrade
Praia do Farol
Praia do Farol
4 –
Seguindo em direção a Sagi e à Paraíba, passamos por diversas praias, como a do Farol, onde o atrativo é um...farol, movido a energia solar. Quem tem fôlego sobe as dunas por trás do farol e tem uma bela vista da praia.

PANROTAS / Artur Luiz Andrade
Mata Estrela
Mata Estrela
5 –
A RPPN da Mata Estrela é particular, mas permite a entrada de trilheiros, turistas e até para acampamentos. Tudo com autorização (a entrada normal custa R$ 20 e geralmente está inclusa nos passeios de buggy). A reserva de Mata Atlântica (sobre dunas) tem trilhas diversas, animais silvestres e um visual belíssimo. Parada obrigatória na região, sem arrependimentos, até porque...

PANROTAS / Artur Luiz Andrade
Lagoa da Coca-Cola
Lagoa da Coca-Cola
6 –
É na reserva que está a Lagoa da Coca-Cola (apelido da Lagoa de Araraquara). O fundo da lagoa torna a água da cor do refrigerante, e em várias tonalidades. Pode-se nadar e relaxar na lagoa e em seu entorno. A parada do buggy é de meia hora, mas o local é propício para piqueniques e para mais horas entre a água e o sol.

PANROTAS / Artur Luiz Andrade
Sagi
Sagi
7
Na sequência de praias, a maioria desertas, vêm Barreirinha, João dos Santos, Cachoeira e Cotia. Até se chegar em Sagi, destino que está crescendo bastante na região. Há atrações e banho à beira do rio Sagi, o réveillon local começa a se destacar, muitos turistas regionais escolhem o destino para relaxar.

PANROTAS / Artur Luiz Andrade
Rio Guajú: do lado de lá já é Paraíba
Rio Guajú: do lado de lá já é Paraíba
8 –
À beira do rio Guajú, os espetinhos de lagosta fazem sucesso. A travessia para a Paraíba leva alguns passos dentro do rio e carros podem passar de balsa (R$ 20 o trecho de menos de 30 segundos). Os aerogeradores do parque eólico marcam a paisagem paraibana.

PANROTAS / Artur Luiz Andrade
Ítalo Ferreira no Pontal
Ítalo Ferreira no Pontal
9 –
Em breve serão abertos o Instituto Ítalo Ferreira e uma estátua em sua homenagem. Tudo porque o surfe é um grande atrativo da região e há escolinhas por toda a parte. Que tal passar uma semana com a família na região, enquanto os filhos aprendem a surfar? E Pipa está logo ali, a uma balsa ou meia hora de carro.

PANROTAS / Artur Luiz Andrade
Mirante na Praia do Porto
Mirante na Praia do Porto
10 –
Sim, Baía Formosa também tem passeio de barco para avistar golfinhos, assim como em Pipa. E também passeio em manguezal, tardes tranquilas à beira mar, praias desertas sem avistar uma alma...

Um lembrete: para fazer o percurso de Baía Formosa até a fronteira com a Paraíba recomendam-se os bugies, carros off-road, quadriciclos (alugados na cidade) e veículos nesse estilo. Há um caminho pela beira do mar e outro margeando as dunas. Até ciclistas e motociclistas se aventuram no caminho pelo mar.

Descubra Baía Formosa, o próximo destino mais cobiçado do Turismo brasileiro. Mais informações sobre passeios e hospedagem em Baía Formosa com a Luck Natal: https://luckreceptivo.com.br/passeios/natal.

Veja mais fotos no álbum abaixo:
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA