Turistas paulistas lideram volume de gastos em 17 Estados

|

PANROTAS / Filip Calixto
Guilherme Miranda, secretário-executivo de Turismo e Viagens do Estado de São Paulo
Guilherme Miranda, secretário-executivo de Turismo e Viagens do Estado de São Paulo
FORTALEZA/ABAV EXPO
- O Turismo de São Paulo está presente na Abav Expo & Collab 2021 representado por Guilherme Miranda, secretário-executivo de Turismo e Viagens do Estado de São Paulo. No evento, a secretaria conta com dois estandes de 80 metros que compartilha com co-expositores do Estado, e também apresenta uma pesquisa hoje (6) para convidados e na sexta (8) promoverá uma capacitação para 50 agentes de viagens e operadores com um café da manhã em um hotel de Fortaleza.

Acostumado a sediar a Abav Expo, São Paulo e Guilherme Miranda veem com bons olhos o novo modelo itinerante do encontro. "O evento acontecia há alguns anos no eixo Rio-SP, mas a mudança para um evento itinerante é muito interessante. São Paulo continua super consolidado como um destino de eventos e vai continuar sendo, mas passar por outros destinos é muito legal para que eles tenham a oportunidade de sediar um evento tão bacana como é a Abav Expo", afirmou.

Visando a retomada do Turismo impulsionada pelo avanço da vacinação, Miranda afirmou que as ações estruturantes realizadas durante a pandemia serão muito importantes para a retomada do fluxo interno, e instaurar o hábito de viajar regionalmente, escoando o turista paulista que descobriu destinos mais próximos em São Paulo. A meta da secretaria é fidelizar o viajante paulista para que ele continue a viajar dentro do Estado.

PESQUISAS
Divulgação
No volume de gastos, os paulistas lideram em 17 Estados e no Distrito Federal
No volume de gastos, os paulistas lideram em 17 Estados e no Distrito Federal

Em uma primeira pesquisa, o avanço da vacinação no Estado de São Paulo significou um impacto no consumo de viagens em todo o Brasil. Esta conclusão está no levantamento feito pelo Centro de Inteligência e Economia do Turismo (CIET), da Secretaria de Turismo e Viagens do Estado (Setur-SP). Em Alagoas, no Ceará e no Rio Grande do Norte, por exemplo, os paulistas lideram as estatísticas de consumo e impacto econômico: em média 25%.

O levantamento considerou dois grupos de informação: número de viajantes e faturamento. São Paulo é o principal exportador de turistas para nove Estados: Paraná, Minas Gerais, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro, Bahia, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Ceará — em outros seis fica em segundo lugar, perdendo apenas para os seus vizinhos. Já no volume de gastos, os paulistas lideram em 17 Estados e no Distrito Federal: Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul e Rondônia.

Em uma segunda pesquisa, realizada em parceria com a Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade), o Turismo de São Paulo descobriu, com mais de quatro mil entrevistas, que 55% dos paulistas pretendem viajar em 2021 ou em 2022, mas a minoria fez reserva ou comprou passagem, mesmo para 2021. Assim, de acordo com Guilherme Miranda, existe uma possibilidade para destinos fidelizarem este viajante que vai viajar, mas não sabe para onde.

Confira outros dados da pesquisa do Seade abaixo.

Planos de viagem para 2021
  • metade dos que planejam viajar em 2021 pretendem ir para outros Estados; e 34% viajarão dentro de São Paulo;
  • viagens de lazer e em companhia de familiares são maioria, independentemente do destino;
  • predominam planos de viagens de até 1 semana e metade planeja gastar até R$ 200 por dia, em média;
  • 43% pretendem viajar de carro e 56% planejam se hospedar em hotel ou pousada;
  • 93% se preocupam com existência de medidas de enfrentamento à covid-19 no destino.

Planos de viagem para 2022
  • 55% planejam viajar para outros Estados, diminuindo para 29% os que pretendem viajar dentro de São Paulo;
  • viagens de lazer, em companhia de familiares e com duração de até 1 semana, persistem majoritárias, mas cresce a parcela que pretende viajar de avião;
  • 35% planejam ficar na casa de parentes e amigos, mais que em 2021, e é menor a preocupação com a covid-19.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA