Juíza da Flórida revoga mandato do CDC de máscaras em aviões

|

Divulgação
CDC estendeu o mandato nacional até 3 de maio
CDC estendeu o mandato nacional até 3 de maio
A juíza distrital dos Estados Unidos em Tampa, na Flórida, Kathryn Kimball Mizelle, revogou hoje (18) a obrigatoriedade do uso de máscara em aviões e outras formas de transporte público, alegando que o CDC ultrapassou sua autoridade ao estender o mandato nacional até maio. Segundo a juíza, "o CDC falhou em explicar adequadamente suas razões para o mandato e não permitiu comentários públicos em violação dos procedimentos federais para a emissão de novas regras".

De acordo com reportagem da CNBC, a secretária de imprensa da Casa Branca, Jen Psaki, em uma entrevista coletiva na segunda-feira, disse que o CDC continua recomendando que as pessoas usem máscaras no transporte público. Psaki disse que o governo Biden está revisando a decisão do tribunal e o Departamento de Justiça determinará se recorrerá.

A decisão do tribunal ocorre menos de uma semana depois que o CDC estendeu o mandato da máscara por 15 dias, em meio a um aumento nas infecções por covid-19 em todo o país devido à subvariante ômicron BA.2. Os EUA relataram uma média de sete dias de quase 35 mil novas infecções na sexta-feira (15), um aumento de 36% nas últimas duas semanas, segundo dados do CDC.

Enquanto as autoridades estaduais e locais em todo o país suspenderam os mandatos de máscaras, o CDC decidiu na semana passada manter os requisitos federais para transporte público em vigor até 3 de maio.

A agência mudou recentemente as métricas que sustentam suas recomendações de saúde pública, dando maior ênfase às hospitalizações, em vez de depender principalmente de infecções. Hospitalizações e infecções caíram mais de 90% desde o pico da onda da ômicron de inverno em janeiro.

O CDC disse que não comentaria sobre litígios pendentes.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA