Smiles fecha segundo trimestre com faturamento de R$ 552 milhões

|

Henrique Santiago
Leonel Andrade, presidente da Smiles
Leonel Andrade, presidente da Smiles
A Smiles fechou o segundo trimestre do ano batendo recordes de faturamento, acúmulo e resgate de milhas. O faturamento bruto total cresceu 18,8% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior, atingindo R$ 552,4 milhões. O resgate de milhas somou 19,1 bilhões, em alta de 16,5%, enquanto o acúmulo foi 21,9% maior que um ano antes, totalizando 25 bilhões.

“O forte crescimento do faturamento traz uma ótima perspectiva da receita futura. Isso mostra que os clientes continuam privilegiando a Smiles frente aos concorrentes. É para cá que eles trazem seus pontos de bancos e varejo, por isso nosso acúmulo teve um novo recorde histórico”, disse o presidente da Smiles, Leonel Andrade.

Por outro lado, a receita líquida da empresa caiu 8,9% em relação ao segundo trimestre de 2017, sendo puxada pela queda da receita de breakage, que considera a expiração de milhas.

“Isso é um reflexo do maior engajamento dos nossos clientes, mostrando que a nossa receita com emissão de passagens continua crescendo [7% em relação ao ano anterior], a despeito de um trimestre mais desafiador por conta da greve dos caminhoneiros, Copa do Mundo e alta do dólar”, continuou o executivo.

A Smiles possui mais de 15 milhões de pessoas cadastradas e conta com a Gol como acionista majoritária e principal parceira comercial, porém, outras companhias aéreas também fazem parte do programa de fidelidade, como Delta, Air France-KLM, Qatar Airways, Aerolíneas Argentinas, Etihad Airways, Tap, Alitalia, Copa Airlines, Korean Air, Air Canada, Aeromexico e Emirates.

Recentemente, a empresa fechou parceria com mais quatro transportadores: Royal Air Maroc, Ethiopian Airlines, South African Airways e a brasileira Passaredo.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA