ECONOMIA E POLÍTICA

Com redução de ICMS, São Paulo ganha 490 novos voos semanais


Jhonatan Soares
João Doria com autoridades durante a anúncio
João Doria com autoridades durante a anúncio
O governador de São Paulo, João Doria, anunciou hoje a redução do ICMS para combustível de aviação para 12%. Até então, o Estado cobrava uma alíquota de 25% e, em contrapartida, as companhias aéreas terão 490 novas partidas semanais.

No nacional, serão voos para 21 Estados (incluindo São Paulo) e 38 destinos, com 64 novos voos. Já no regional, serão 74 partidas semanais, atendendo seis novos destinos. O impacto será de R$ 6,9 bilhões no VBP com 59 mil novos empregos e R$ 1,4 bilhão em salários.

“Nosso objetivo é aumentar a entrada de turistas não apenas na capital e continuar tendo uma visão brasileira, com a capacidade do emissivo de São Paulo. O impacto do combustível nas companhias chega a 40% em custo operacional. Com isso, queremos ampliar as oportunidades para essas transportadoras com os novos voos, com a possibilidade de tarifas especiais”, explica o governador.

“Essa medida causa um impacto positivo muito grande para todo o setor. São Paulo é o maior hub aéreo do País e nós, como governo federal, apoiamos e parabenizamos o governo do Estado por beneficiar um avanço tão grande como esse”, destacou o secretário de Aviação Civil, Ronei Glanzmann, em entrevista exclusiva ao Portal PANROTAS nesta manhã.

Para o presidente da Abear, Eduardo Sanovicz, essa é uma das maiores conquistas da aviação comercial brasileira. "Com essa medida, São Paulo ganha ainda mais protagonismo na conectividade aérea nacional, além do desenvolvimento econômico e social que será gerado com mais voos no estado. O governo estadual dá um exemplo de iniciativa que fortalece a competitividade do setor aéreo”, afirma.

“Nós vamos voltar a ter voos no interior de São Paulo, que praticamente se esvaziaram no decorrer dos últimos anos. Além disso, vale lembrar que cada emprego gerado diretamente em aviação, gera 3 ou 4 adicionais ao sistema”, avalia o diretor executivo da Associação da América Latina e do Caribe de Transporte Aéreo (ALTA). Ele comemora o pleito, que está há uma década na agenda das companhias aéreas.

"Essa é uma grande vitória para o Turismo. Num País de dimensões continentais como o nosso, a conectividade pela malha aérea é fundamental", comentou o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio. "O próximo passo é aprovar a abertura total das companhias aéreas ao capital estrangeiro no Congresso Nacional, para permitir o aumento da competitividade com mais empresas atuando no Brasil e limitar o ICMS em 12% para todos os Estados, com o projeto que tramita no Senado", completou. Das 27 unidades da Federação, 18 já praticam alíquota de até 12%.

STOPOVER


Também está prevista uma campanha conjunta entre a Secretaria Estadual de Turismo, o São Paulo Convention & Visitors Bureau (SPCVB) e a Abear, representando as companhias aéreas associadas, para promover o programa “stopover”, que é a descida em São Paulo de um passageiro num voo vindo de Fortaleza ou alguma cidade internacional, por exemplo, com destino final previsto em Porto Alegre. Neste caso, o passageiro poderia optar por permanecer pelo menos um dia em alguma cidade paulista e aproveitar as ofertas locais de lazer, compras, cultura ou natureza antes de se deslocar ao destino final. O investimento previsto é de cerca de R$ 40 milhões, apenas em 2019.

O anúncio foi realizado hoje durante coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes, na capital paulista, com a presença de executivos da Gol, Latam, Avianca e Azul, além de secretários de governo.

*Colaborou Danilo Teixeira
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA

As mais lidas agora