Deixar de viajar não impede propagação do vírus, alerta WTTC

|


Divulgação/WTTC
Gloria Guevara Manzo, do WTTC
Gloria Guevara Manzo, do WTTC

O WTTC emitiu comunicado alertando que fechar fronteiras, proibir viagens e políticas governamentais mais extremas não impedirão a propagação do coronavírus.

A presidente e CEO do conselho, Gloria Guevara, ex-ministra de Turismo do México, disse que aprendeu com a epidemia de H1N1 em seu país natal que medidas desproporcionais não contêm os vírus.

“Os governos não devem proibir viagens ou o comércio nesse momento. Fechar fronteiras, impor proibições gerais e aplicar políticas extremas não são resposta para conter a propagação do vírus”, disse. “A experiência passada mostra que medidas muito extremadas são, no mínimo, ineficazes. Pedimos que os governos tomem medidas baseadas em fatos e que não afetem a grande maioria das pessoas e empresas, para as quais as viagens são essenciais”.

Análise do WTTC mostra que 33 países notificaram casos de coronavírus e que a grande maioria das pessoas se recuperou totalmente. A taxa de mortalidade do Covid-19 é mais baixa que a da Sars, de 2003, ou a Mers, de 2012.

“Uma morte é demais para qualquer vírus, mas não é o momento de entrar em pânico. Viajar com responsabilidade e ter medidas de higiene simples tornam a possibilidade de contrair o vírus remota para a maioria das pessoas”, disse Guevara, que será uma das palestrantes do Fórum PANROTAS 2020, nos dias 17 e 18 de março, em São Paulo.

Já a conferência anual do WTTC ocorre de 21 a 23 de abril, em Cancún, no México.

 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA