FecomercioSP apoia quarentena, mas pede mais ações para conter crise

|

A FecomercioSP segue acompanhando os desdobramentos que a pandemia do coronavírus (covid-19) tem provocado em diversos setores da sociedade, em especial de comércio e serviços. A entidade se manifestou a favor da prorrogação da quarentena, anunciada pelo governador João Doria nesta segunda-feira, mas cobrou maior profundidade e velocidade das ações já anunciadas para a manutenção das empresas e dos empregos, bem como um plano de retomada da economia.

De acordo com levantamento da federação, a movimentação do comércio varejista dos setores afetados pelo decreto para um mês de abril considerado comum, é de cerca de R$ 35 bilhões, com empregabilidade de 1,3 milhão de trabalhadores formais. Assim, a liberação de R$ 650 milhões em crédito mencionada pelo governo de São Paulo por meio do Banco do Povo e do Desenvolve SP, não cobre nem uma média diária de faturamento do comércio que está de portas fechadas no Estado.

Além disso, apesar de o governo ter atendido parte do pedido da FecomercioSP pela suspensão do recolhimento do ICMS nesse período, a medida poderia ser prorrogada por seis meses (ao invés de três) e ampliada a todos os tipos de empresa.



EMPRESARIADO
Com a prorrogação da quarentena no Estado de São Paulo, a Federação recomenda adaptar-se rapidamente às vendas on-line, por aplicativos e deliveries. Além disso, é preciso fazer promoções para chamar a atenção do consumidor e disponibilizar os pagamentos por on-line como PicPay, Mercado Pago, Ame, entre outros, evitando assim a a necessidade de contato físico com a maquininha de cartão.

É o momento de fazer as contas dos custos fixos, para saber se haverá dinheiro em caixa durante esse período de crise e renegociar contratos, aluguéis, pedir que fornecedores estendam os prazos. Algumas instituições financeiras já liberaram a opção de suspensão de parcelas de financiamentos a vencer nos próximos 90 dias.

Se ainda assim faltar dinheiro em caixa, o governo tem disponibilizado algumas linhas de crédito com juros mais baixos por meio da Caixa Econômica Federal, Desenvolve SP, Banco do Povo e BNDES. Um crédito adquirido e bem planejado é melhor do que deixar de pagar os compromissos, tornar-se inadimplente e ter que correr atrás de juros maiores.

A Federação recomenda planejamento e cautela para desligamentos de colaboradores neste momento, pois com o fim da quarentena, o comerciante vai precisar dos funcionários e provavelmente os custos com demissões, novas contratações e treinamentos serão altos. A melhor opção é analisar as alternativas descritas nas MPs n.º 927 e n.º 936, como férias coletivas, compensação de horas, antecipação de feriados, entre outras.

 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA