FBHA pede votação urgente da MP 963 referente ao Fungetur

|

Divulgação
FBHA em reunião com o deputado Vermelho (PSD-PR), relator da MP 963
FBHA em reunião com o deputado Vermelho (PSD-PR), relator da MP 963
A Medida Provisória nº 963 está sendo discutida nesta semana e a Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação (FBHA) pede atenção especial para o assunto. A entidade busca a votação da proposta o quanto antes para que haja o direcionamento de R$ 5 bilhões em crédito extraordinário para o Ministério do Turismo, por meio de recursos sob supervisão do Fungetur. O instrumento que possui força de lei - e vigora logo depois de ser publicado – visa auxiliar o setor para enfrentar o colapso econômico ocasionado por conta da pandemia do coronavírus.

"O Fungetur é imprescindível para manter as nossas empresas vivas e, além disso, para acelerar a retomada do nosso setor. Com essa atenção especial, conseguiremos contribuir com a recuperação das atividades no nosso País e, além disso, voltaremos a movimentar a renda e os empregos de milhões de brasileiros", explicou o presidente da FBHA, Alexandre Sampaio.

A medida foi publicada, originalmente, no dia 8 de maio e perderia a sua eficácia na próxima segunda-feira (7). Em virtude do feriado que cairá no mesmo dia, o segmento pede o suporte para dar sequência à proposta. A MP já tramitava em caráter de urgência após o seu prazo prorrogado e, agora, busca a aprovação antes do seu vencimento. Para auxiliar o setor, a FBHA recorreu para dar andamento ao assunto.

Hoje (1), a entidade realizou uma reunião com o deputado Vermelho (PSD/PR), relator da MP, para caucionar o Fungetur no valor proposto. “Estamos esperançosos com a possibilidade da votação ocorrer ainda hoje. Esperamos que conquistemos mais essa vitória para o Turismo brasileiro. O momento não é fácil, mas lutaremos para minimizar esses efeitos negativos provocados pela pandemia de todas as formas possíveis. Por isso, pedimos o suporte dos deputados para aprovar essa proposta o quanto antes”, concluiu Sampaio.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA