Secretário do Min. da Economia defende redução do IRRF no Turismo

|


Agência Brasil,
Carlos da Costa, secretário especial da Sepec/ME
Carlos da Costa, secretário especial da Sepec/ME
Participando ontem (23) do lançamento do Guia de Retomada Econômica do Turismo no Brasil, que é resultado de uma parceria entre os ministérios do Turismo e da Economia, o secretário especial da Sepec/ME, Carlos da Costa, renovou as esperanças do setor sobre a redução da cobrança do IRRF (Imposto sobre a renda retido na fonte) sobre remessas ao Exterior, o que é um pleito repetido pelo trade. Em seu discurso, o secretário disse que não vê sentido na cobrança como é feita e a chamou de "jabuticaba brasileira".

“Está na hora de reduzir o custo Brasil, reduzir o custo turístico, acabar de vez com esse IRRF sobre aeronaves e remessas de viagens”, reforçou o secretário que ainda falou sobre como acredita que a parceria entre os ministérios pode ajudar o empresariado do Turismo brasileiro.

O representante do ministério enumerou as medidas tomadas pelo poder público em socorro ao setor durante a pandemia e defendeu que a verba que chegou ao segmento de viagens via Pronampe - 18% do total, segundo ele - precisa ser mantida para circular na atividade.

O secretário especial da Sepec/ME, ressaltou ainda que o trabalho visto no guia seguiu alguns valores essenciais. “O primeiro deles: a verdade e a verdade está lá fora. A KPMG foi buscar a verdade nos empresários do setor, quais são aqueles fatores que, na opinião de vocês e com base na experiência internacional, melhoraram o País.

Segundo: a liberdade. Precisamos libertar o nosso empresário, tirar o governo do cangote de quem produz. E, por último: prosperidade. Estamos vivendo um momento em que a gente pode reinventar e acelerar várias coisas para o turismo brasileiro”, disse.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA