Flytour MMT: agentes desejam grupos, portal e internacional

|


Rodrigo Vieira
Rui Alves, do Grupo Flytour, e Michael Barkoczy, presidente da Flytour Viagens MMT
Rui Alves, do Grupo Flytour, e Michael Barkoczy, presidente da Flytour Viagens MMT
Ainda é cedo para saber como o mercado vai reagir e se os próprios agentes de viagens vão aprovar o novo modelo de operação após a fusão entre MMTGapnet e Flytour Viagens. O anúncio acaba de ser feito pelo presidente da operadora, Michael Barkoczy, e ele próprio pediu pelo menos um mês e meio para que as mudanças, como a da plataforma unificada, comecem a surtir efeito. O caminho é longo.

Vice-presidente no Grupo Flytour, Rui Alves acredita que a principal vantagem da fusão é sinergia, alinhamento operacional e unificação de produtos entre as empresas. "Isso sempre se traduz em dedicação ao cliente, foco total no agente de viagens, que é o objetivo de todo o grupo", afirma Alves. "Por isso preservaremos o DNA de cada empresa setorizando atendimento. Isso vai evitar a queixa dos agentes sobre falta de prestação de serviço. Eles serão tratados tão bem ou melhor do que costumam ser na Flytour Viagens e na MMT", completa, em resposta ao Portal PANROTAS sobre os riscos de uma operadora gigante cair no desgosto das agências.

Rodrigo Vieira
Agentes de viagens presentes no anúncio da fusão
Agentes de viagens presentes no anúncio da fusão
Fato é que, para os agentes de viagens que compareceram no evento do anúncio da união das marcas, as expectativas são altas. As cerca de 100 agências representadas respondem por mais de 50% das vendas das duas operadoras, e todo esse motor de vendas tem uma lista de desejos para a agora fundida Flytour Viagens MMT. Os pedidos incluem melhor plataforma tecnológica, disponibilidade da equipe de atendimento, atenção às vendas de grupos, entrosamento de produtos e principalmente melhores tarifas no inter.
Rodrigo Vieira
Em período de adaptação, a operadora vai manter as duas logomarcas antes de unificar
Em período de adaptação, a operadora vai manter as duas logomarcas antes de unificar
Rodrigo Vieira
Silvio Campbell, da Chance Tour, e Fabio Tavares, da Big Travel
Silvio Campbell, da Chance Tour, e Fabio Tavares, da Big Travel
Silvio Campbell, da Chance Tour, de São Paulo, tem maior saída do internacional, por isso é mais próximo da MMTGapnet, operadora cujos destinos estrangeiros representava 80% do share. Sua maior expectativa está na promessa de melhoria tecnológica. "Precisamos de agilidade na plataforma de vendas, e essa integração deve ajudar, é uma carência que os próprios executivos reconheceram", afirmou, endossado por Fabio Tavares, da Big Travel. "São duas grandes empresas, se pegarem o que há de melhor em cada só temos a ganhar."



Também de São Paulo, Eliane Feliz Okamoto, da Vista Alegre Tur, é forte em grupos, e vê na Flytour Viagens uma das melhores operadoras do mercado para tal modelo de vendas, surpreendentemente, no internacional. "A fusão vem muito a calhar, pois estou familiarizada com o modelo de atuação da FTV, e com a chegada dos produtos internacionais da MMT, terei o melhor dos dois lados", espera a agente, que gosta dos dois portais de vendas e está satisfeita com a promessa de que os destinos internacionais da MMT virão com tarifas competitivas à prateleira.

Rodrigo Vieira
Eliane Feliz Okamoto, da Vista Alegre Tur
Eliane Feliz Okamoto, da Vista Alegre Tur
Europa com preços mais acessíveis é também o que espera o casal Samir El Ain e Vera Lucia El Ain, da agência paulistana Royale Tur. "Somos muito forte em grupos para o continente, mas vínhamos comprando mais com a Flytour Viagens recentemente, pois as tarifas da MMT estava um pouco acima da média", afirma Vera. "Agilizar as vendas é outra de nossas necessidades, pois muitas vezes os clientes não gostam de esperar e querem fechar uma venda durante o final de semana. Esperamos que a operadora unificada não perca isso", completa Samir.

Rodrigo Vieira
Vera Lucia e Samir El Ain, da Royale Tur
Vera Lucia e Samir El Ain, da Royale Tur
A E3, de Jundiaí, vende mais FTV do que MMT. As profissionais Edilaine e Giovanna Zancopé preferem o portal de vendas e o atendimento da operadora, com quem atuam desde sua fundação, há sete anos. "Mas a unificação de produtos será muito positiva, já que o portal é um dos melhores do mercado hoje. Juntar a expertise de uma operadora em franco crescimento com uma de tradição no Turismo parece uma ideia excepcional", conclui Edilaine.

Rodrigo Vieira
Mauricio Anias, da Flytour Viagens MMT, com Edilaine e Giovanna Zancopé, da E3 Turismo
Mauricio Anias, da Flytour Viagens MMT, com Edilaine e Giovanna Zancopé, da E3 Turismo

 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA