OPERADORAS

Comprou de novo: CVC Corp adquire três empresas na Argentina


Emerson Souza
Luiz Eduardo Falco, presidente da CVC Corp: abriu capital, comprou diversas empresas, chegou a mais de 1,3 mil lojas e agora internacionaliza a CVC. Falco deixará o cargo em dezembro e ocupará assento no Conselho da CVC Corp
Luiz Eduardo Falco, presidente da CVC Corp: abriu capital, comprou diversas empresas, chegou a mais de 1,3 mil lojas e agora internacionaliza a CVC. Falco deixará o cargo em dezembro e ocupará assento no Conselho da CVC Corp
Na falta de uma, foram três empresas (de dois grupos) e nove novas marcas. A CVC Corp anunciou esta manhã a compra das empresas argentinas Biblos e Avantrip (do mesmo grupo, Bibam) e Ola Turismo. Pelas três, a empresa brasileira desembolsou US$ 19,4 milhões (cerca de R$ 80 milhões).

Segundo comunicado ao mercado, a CVC Turismo S.A.U (subsidiária da CVC Corp na Argentina) celebrou, em 4 de setembro de 2018, um contrato para aquisição de controle acionário e um memorando de entendimentos vinculante para futura aquisição de controle acionário com dois dos principais players do mercado argentino de Turismo, em linha com sua estratégia de expansão internacional.

Da Servicios de Viajes Y Turismo Biblos S.A. e Avantrip.com S.R.L., empresas do Grupo Biblos América L.L.C ("Bibam”), a CVC S.A.U. comprará participação acionária correspondente a 60,06% do capital social por US$ 5,375 milhões. Parte desse valor foi para quitar dívidas do grupo Bibam.

Além dessas duas, a Ola Transatlántica Turismo também teve 60% da empresa vendida por US$ 14,04 milhões.

ON-LINE ARGENTINO
Segundo a CVC Corp, Biblos e a Avantrip fazem parte do Grupo Bibam, que foi fundado em 1979 e está entre os maiores e-commerce em volume de transações na Argentina. Conta com mais de 400 colaboradores e atua no setor on-line por meio de plataformas que oferecem produtos e serviços de viagem, além de programa de benefícios e fidelidade (Avantrip.com, Alliances, Avantrip Pymes e Quieroviajes). No setor off-line atua por meio de agências de viagens (Biblos e FCM Travel Solution) focadas no mercado de luxo, corporativo e eventos, com reservas anuais confirmadas de aproximadamente US$ 200 milhões em 2017.

ROSARIO
Já a Ola Transatlántica Turismo tem mais de 40 anos de atuação e conta com mais de 320 colaboradores. A Ola Transatlántica Turismo tem três marcas: a Ola Mayorista de Turismo, Quinceãneras e Transatlántica Viajes y Turismo, com reservas anuais confirmadas em 2017 de US$ 285 milhões. A Ola Transatlántica Turismo está baseada em Rosario e oferece produtos e serviços para todo o território argentino por meio de agências de viagens multimarcas.

“As transações representam uma oportunidade importante de crescimento para a CVC Corp, ampliando e replicando seu modelo de sucesso implementado e consolidado no Brasil. As transações fortalecem, também, o negócio das companhias adquiridas na Argentina, além de permitir sinergias operacionais e financeiras”, continua o comunicado.

E continua: “A administração considera uma boa oportunidade de crescimento e geração de valor alinhada com a estratégia de expansão regional, a despeito da volatilidade recente da economia argentina, fato que foi contemplado nos termos das duas transações. Além disso, o fluxo de Turismo entre Brasil e Argentina por si só representa uma grande oportunidade de sinergia”.

US$ 500 MILHÕES EM VENDAS
Juntas, a CVC, a Ola Transatlántica Turismo e a Biblos/Avantrip terão aproximadamente US$ 500 milhões de reservas anuais confirmadas, estando entre os três maiores grupos de viagens do mercado argentino, com bom balanceamento entre off-line (70% dos negócios combinados) e on-line (30%), “o que nos possibilitará trilhar a mesma estratégia omnichannel já delineada no Brasil”.

Em ambos os negócios, a CVC manterá a frente da condução das respectivas companhias as lideranças locais e sócios que porventura atuem como gestores da operação.

A Argentina é o maior mercado internacional emissor de turistas para o Brasil, e o segundo para os Estados Unidos na América do Sul (1 milhão de turistas em 2017, contra 1,9 milhão de brasileiros nos EUA). Atualmente o país passa por uma crise econômica, que levou o presidente Mauricio Macri a baixar medidas radicais como a taxação de exportações e o corte de mais da metade de seus ministérios.

Como todo país sul-americano, a Argentina sabe viver o sobe e desce da economia e o fluxo de turistas para o Brasil, Estados Unidos, Chile e Europa deve continuar forte. No Brasil, a CVC se beneficia de ter uma rede de receptivos parceiros em todos os destinos, inclusive nos preferidos dos argentinos, como Rio de Janeiro, Nordeste e Santa Catarina. Essa capilaridade ajudará a fortalecer esse fluxo importante para os destinos brasileiros.

RECEPTIVO NO BRASIL
Em entrevista esta semana à revista PANROTAS, o fundador da CVC, Guilherme Paulus, chegou a tocar no tema do fluxo de estrangeiros, colocando os receptivos como principais destaques e peças de atração dos visitantes. “A CVC pode ser uma dessas âncoras para aumentar o fluxo de estrangeiros no Brasil”, disse ele, repetindo ainda que seu sonho é ver a CVC Corp rivalizando com a gigante alemã Tui, maior operadora do mundo. Com o início da internacionalização, boa parte do caminho já está andado.

O presidente da CVC Corp, Luiz Eduardo Falco, havia prometido no final do ano passado que a empresa chegaria ao Exterior este ano. E cumpriu. Falco, que anunciou que deixará o posto em dezembro deste ano, sendo substituído por Luiz Fogaça, foi o responsável pela reestruturação da companhia, da abertura de capital à formação de uma equipe com antigos e novos nomes, e agora com a internacionalização. Segundo informações obtidas pela PANROTAS, a CVC Corp negocia novas aquisições no Brasil e também no Exterior, com destaque para o foco no Chile, México e Portugal.

Também foi na gestão de Falco que a CVC virou CVC Corp e comprou as empresas Rextur Advance, Submarino Viagens, Experimento, Grupo Trend, Visual e Esferatur. Outras aquisições virão, já que para chegar ao nível da Tui faltam ainda alguns bilhões de dólares de faturamento. A CVC Corp vendeu mais de R$ 10,2 bilhões em 2017 e a Tui 18,5 bilhões...de euros. A CVC Corp está avaliada em R$ 6 bilhões pelo mercado (baseando-se no valor de suas ações).
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA