Live debate MP 948, boas práticas e o futuro do Turismo

|

Participaram do bate-papo o advogado Raphael Moreira Espírito Santo, Katherine Kahn, da Sisu Venture Partners, e José Guilherme Alcorta, CEO da PANROTAS
Participaram do bate-papo o advogado Raphael Moreira Espírito Santo, Katherine Kahn, da Sisu Venture Partners, e José Guilherme Alcorta, CEO da PANROTAS
Com convidados de diferentes áreas e esclarecendo dúvidas de participantes, a Amcham Brasil realizou hoje (12) a live "Turismo sob perspectiva: MP 948, boas práticas e o futuro do setor". Participaram do bate-papo, com apresentações sobre cada um dos temas, o advogado da Veirano Advogados, Raphael Moreira Espírito Santo, a diretora Jurídica da Sisu Venture Partners, Katherine Kahn, o o CEO da PANROTAS, José Guilherme Alcorta - também responsável pela mediação.

A conversa online começou com análise jurídica da medida provisória 948, que vale desde 8 de abril. Espírito Santo falou sobre vigência, eficácia e implicações do texto que dispõe sobre o cancelamento de serviços, de reservas e de eventos dos setores de Turismo e cultura em razão do estado de calamidade pública, declarado em 20 de março. O especialista também a respeito do benefício que a medida trouxe para prestadores de serviço e como ela vale para consumidores.

Representante de uma empresa que lida com mercado brasileiro de esporte e entretenimento, além de organizar eventos de tamanhos variados, Katherine Kahn reconhece que o setor de entretenimento como um todo foi diretamente afetado pela pandemia e foi forçado a reinventar-se. A profissional sintetiza esse movimento de renovação com o advento das lives, que num contexto de isolamento consegue angariar patrocinadores e público, com eficiência na abrangência.

Como legado do atual momento, Katherine acredita que o público dará mais valor ao conteúdo em detrimento da forma, que os produtos de nicho podem ser fortalecidos e que o investimento em tecnologia fica mais importante ainda.

Além da mediação, o CEO da PANROTAS também fez uma apresentação mostrando o cenário do Turismo no momento. Alcorta lembrou a relevância do setor na economia nacional (as atividades turísticas são responsáveis por 8% do PIB e geram 7 milhões de empregos) e apresentou números que mostram o impacto do cenário de pandemia pelo mundo.

Na apresentação, o executivo lembra que, mesmo na Ásia, onde o cenário começa a ficar mais brando, ainda há poucos voos no ar. Em mercados como Estados Unidos e Brasil a situação é ainda mais crítica com frotas de aviões estacionadas. "Costumo dizer que para deixar uma criança triste é só não permitir que ela brinque. No caso de uma companhia aérea é só não deixar que ela voe", diz. Há, entretanto, alguns sinais de retomada já vistos. "Como exemplo, a Turkish Airlines tem planos para ter voos para 99 países em setembro", cita.

Alcorta ainda levou alguns índices levantados pela pesquisa TRVL LAB – Laboratório de Inteligência de Mercado em Viagens, feita pela pela parceria entre PANROTAS e Mappie. "Aproximadamente 64% dos brasileiros não veem a hora de voltar a viajar e 91% consideram o avião como a principal opção. O Nordeste e suas praias são o destino mais desejado para 26,8% e a Serra Gaúcha foi citada por 11,34%", aponta. "Esse estudo também mostra que o Turismo de luxo deve aparecer como um dos principais propulsores na volta do mercado de viagens", completa.

O CEO também citou a importância de transmitir segurança para que o turista volte a pensar em viajar. Como boa iniciativa nesse sentido ele mencionou a ação do MTur em parceria com a Anvisa para a implementação de um selo de biossegurança com 16 protocolos para atrações e equipamentos turísticos.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA