Secretário de Turismo Lummertz, de São Paulo, analisa documento da CNC

|


PANROTAS / Emerson Souza
Vinicius Lummertz, Secretário de Turismo e Viagens do Estado de SP
Vinicius Lummertz, Secretário de Turismo e Viagens do Estado de SP
O documento da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) com recomendações para o desenvolvimento do Turismo foi tema do artigo escrito pelo secretário de Turismo e Viagens do Estado de São Paulo, Vinicius Lummertz. Passando pelos pontos do relatório da CNC, Lummertz pontua a importância das plataformas de apoio aos gestores e incentivos de pesquisas, além das ações sustentáveis e governança.

Confira abaixo o artigo na íntegra:

"Os acertos que nos trouxeram até aqui

Vinicius Lummertz*


A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) divulgou recomendações para o desenvolvimento do turismo. Documentos assim são importantes como fomento às discussões, tanto que foi analisado durante o Fórum PANROTAS, na terça-feira.

À frente do Turismo no Estado de São Paulo, vimos com satisfação um quase alinhamento entre o recomendado e o que executamos nesses quase quatro anos. Antes de elencar as coincidências cabe lembrar a premissa fundamental: o apoio incondicional que tivemos dos governadores João Doria e Rodrigo Garcia. O primeiro, homem do turismo, como vocês sabem; o segundo, com olhar estratégico para o desenvolvimento regional, ajudou a materializar as nossas propostas, a começar pela liberação recorde de recursos para infraestrutura de 210 cidades – estâncias e Municípios de Interesse Turístico (MITs).


O documento da CNC tem três grupos de informações: macroestratégias e prioridades, um olhar para as regiões do País e a síntese das propostas estaduais.

As macro linhas indicam as necessidades transversais de investimentos em infraestrutura básica e mobilidade. E fomos muito bem. Em 2019/20, por exemplo, em ação com as empresas aéreas, abrimos mais de 700 novas frequências “de/para” os aeroportos paulistas. A pandemia interrompeu este processo que, agora, volta com a mesma força. Em outras frentes, no biênio 21/22, R$ 7 bilhões estão sendo investidos em rodovias, hidrovias, ferrovias e aeroportos. Dois destaques: no saneamento básico, a despoluição do Rio Pinheiros com a ligação de mais de 400 mil residências à rede coletora, e a concessão dos 22 aeroportos regionais, o que dará um novo fôlego para qualificação desses equipamentos.

Nas indicações para inteligência e boas práticas estão plataformas de apoio aos gestores e incentivos a pesquisas. Novamente sobramos: mesmo na pandemia criamos cursos para formação de equipes municipais, implantamos o Centro de Inteligência da Economia do Turismo (CIET) e lançamos os portais de Melhores Práticas, para troca de experiências exitosas e o TurisvestSP, que ajuda os empreendedores com informações atualizadas sobre oportunidades no turismo por meio do desenvolvimento imobiliário.

A CNC aponta a necessidade de priorizar ações sustentáveis, a revisão da tributação e a oferta de microcrédito. Nós aprovamos a lei dos Distritos Turísticos, que dá segurança para o investidor. Em 2019 lançamos o Programa de Crédito Turístico, fundamental para a travessia da pandemia e, visando o desenvolvimento sustentável, as rotas gastronômicas e flexibilização, com a Secretaria da Agricultura e Abastecimento, da lei que para o comércio de produtos de origem controlada, uma vitória do agro e do turismo.

O documento indica a necessidade da oferta qualificada, a capacitação, incluindo o ensino público, a certificação de pessoas físicas e empreendedores, gestão de unidades de conservação e a promoção. Em todas as frentes tivemos avanços: fizemos convênios para cursos técnicos e universitários; com a Secretaria da Educação lançamos as eletivas de turismo que em 2021 chegaram a 130 mil alunos; com o Sebrae certificamos empresas de ecoaventura de mais de 200 municípios; a iniciativa de place branding Vem Pro Vale, ação de valorização do Vale do Ribeira e, junto com o setor privado, campanhas inéditas de promoção, sob o mote “SP Pra Todos” – associado à marca lançada ainda em 2019.

Por fim, a CNC indica a importância da governança. Além do Conselho Estadual de Turismo, onde prestamos conta das ações, foi criado um “Conselho de Gestão”, sem atribuições legais, para oxigenar as discussões, já que além de empresários e líderes do setor, tem representantes de outras áreas. Por fim, trouxemos a da FIA-USP com parte da estratégia de modernizar a administração.

O previsto no nosso Plano 20-30 nos trouxe até aqui. O futuro promete: o Turismo tem muito a crescer em São Paulo, muito a contribuir com o Brasil."

 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA