Com dólar a R$ 4, buscas por viagens pelo Brasil lideram | Pesquisas e Estatísticas | PANROTAS
PESQUISAS E ESTATÍSTICAS

Com dólar a R$ 4, buscas por viagens pelo Brasil lideram

Divulgação/ Secretaria de Turismo do RN
Natal, no Rio Grande do Norte, teve 241% de aumento em buscas
Natal, no Rio Grande do Norte, teve 241% de aumento em buscas
No dia 21 de agosto, o dólar norte-americano ultrapassou o valor de R$ 4 e desde então não desceu mais desse patamar. Hoje, por exemplo, o câmbio entre as moedas está em R$ 4,20 e sem perspectivas de queda. Tal cenário econômico reflete nas escolhas diárias das pessoas que, segundo levantamento do Kayak, já passaram a procurar por mais destinos nacionais e sul-americanos para driblar a escalada do preço do dólar.

O metabuscador revelou que, desde abril, o interesse por viagens pelo Brasil cresceu 31%, com destaque para Fortaleza e Porto Alegre, que tiveram aumentos acima do esperado, principalmente por se tratarem de cidades com bases consolidadas no número de buscas.

“O ranking revela que os brasileiros estão aproveitando a alta do dólar para apostar em destinos nacionais e na América do Sul, que são menos dolarizados e, por isso, estão mais baratos. Ao contrário do que se poderia pensar, não estamos deixando de viajar, mas mudando o perfil de nossas viagens”, comentou o líder de Operações do Kayak no Brasil, Eduardo Fleury.

Lisboa é a única cidade fora da América do Sul a aparecer no levantamento dos 15 destinos mais buscados desde abril, ainda assim, apenas na 15ª posição.

“Com um grande volume de turistas chegando, é possível que a capital portuguesa encareça seus valores nos próximos anos, o que pode levar a uma estabilização da ida de brasileiros para lá”, analisou Fleury.

Confira o ranking dos destinos que mais cresceram desde abril:

Juazeiro do Norte+270%
Bariloche (Argentina)+270%
Porto Alegre+268%
Santiago (Chile)+261%
Fortaleza+258%
Belém+241%
Natal+241%
São Luís+240%
São Paulo+231%
Brasília+230%
Recife+230%
Salvador+230%
João Pessoa+224%
Rio de Janeiro+224%
Lisboa (Portugal)+219%

 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA