26% dos brasileiros esperam viajar após o fim da quarentena

|


Pixabay
75% dos brasileiros deixaram de fazer ao menos uma viagem devido à pandemia
75% dos brasileiros deixaram de fazer ao menos uma viagem devido à pandemia
Para saber as expectativas de viagens dos latinos para 2020 e 2021, o Viajala fez uma pesquisa com três mil usuários da plataforma em seis países: Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, México e Peru. Segundo o levantamento, os brasileiros afirmam ter sido os mais afetados, já que 75% dos entrevistados deixaram de fazer ao menos uma viagem devido à pandemia. Entre os mexicanos, o número foi de 71%. Nos outros países analisados, a média foi de 56% de desistência ou impossibilidade de embarcar.

O cenário de viagens domésticas é mais incerto para argentinos, colombianos e chilenos, pois 40% dos entrevistados responderam não ter ideia de quando poderão voltar a viajar dentro de seus próprios países. Já os brasileiros são os mais seguros quanto a isso: apenas 27% declararam não saber quando voltarão a viajar no Brasil, enquanto 26% afirmaram que o farão assim que a quarentena acabar.

Em relação às expectativas para viagens internacionais, os usuários do México, Brasil e Colômbia são os mais preocupados, uma vez que mais de 60% deles declararam não saber quando voltariam a viajar para fora do país. As principais apostas ficam para 2021: 22% dos argentinos, 15% dos peruanos e 11% dos brasileiros acreditam que voltarão a viajar em janeiro, enquanto 13% dos colombianos preferem deixar para o segundo semestre do próximo ano. Por outro lado, 23% dos mexicanos e 28% dos chilenos ainda têm esperança de viajar entre julho e outubro deste ano.

"As viagens nacionais são, em teoria, mais garantidas por serem mais curtas, mais baratas e porque, devido ao cenário, podem ser organizadas mais em cima da hora, sem tanta antecedência. Mesmo assim, é preciso cautela na hora da compra, empurrando os planos para o mais tarde possível no segundo semestre e reservando viagens que permitam cancelamento ou alteração gratuitos, para evitar dor de cabeça caso não dê certo", afirma a diretora de Comunicação do Viajala, Luísa Dalcin.

PREOCUPAÇÕES NO PÓS-PANDEMIA

Para os usuários do Chile (37%) e México (42%), a principal preocupação ao voltar a viajar para o Exterior é financeira, enquanto colombianos (32%) e peruanos (33%) se mostraram mais apreensivos com a saúde. Já os argentinos (30%) apontaram as condições da viagem como o maior receio, incluindo o funcionamento de pontos turísticos e serviços do destino.

No cenário brasileiro, 34% dos participantes declararam que temem pela sua situação financeira quando a crise passar, enquanto 17% se mostraram preocupados com a cotação de moedas estrangeiras. Já 15% se perguntaram como estará o funcionamento dos pontos turísticos do local a ser visitado e outros 15% afirmaram temer uma segunda onda do coronavírus.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA