Hotelaria dos EUA tem queda em ocupação e Revpar

|


Dreamstime
Detroit foi o mercado que mais se aproximou dos níveis pré-pandemia
Detroit foi o mercado que mais se aproximou dos níveis pré-pandemia
Refletindo as demandas sazonais e as preocupações em relação à pandemia, o desempenho dos hotéis nos Estados Unidos continua apresentando queda comparado às semanas anteriores, de acordo com os dados mais recentes da STR. Na última semana, de 15 a 21 de agosto, a hotelaria norte-americana registrou ocupação de 63,7%, representando uma queda de 9,1% em relação ao mesmo período de 2019. Já a diária média foi de US$ 135,77 (alta de 5,1%) e o Revpar, US$ 86,43 (queda de 4,5%).

Divulgação/STR
Ocupação hoteleira dos EUA entre 22 de fevereiro a 21 de agosto de 2021
Ocupação hoteleira dos EUA entre 22 de fevereiro a 21 de agosto de 2021
Embora nenhum dos 25 principais mercados tenha registrado um aumento de ocupação em relação a 2019, Detroit foi o que mais se aproximou do nível pré-pandemia, alcançando 69,3% (-0,7%). Por outro lado, San Francisco/San Mateo teve a queda mais acentuada na ocupação em comparação com 2019, registrando taxa de 53,5% (-40,5%).

Miami foi o mercado que apresentou o maior aumento de diária média (27,8%), chegando a US$ 181,66. As maiores quedas de Revpar foram em San Francisco/San Mateo (-58,2% para US$ 88,39) e Minneapolis (-43,6% para US$ 61,61).
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA