Seriam os vídeos verticais o futuro da promoção no Turismo?

|

Pixabay/Domínio Público
Não é de hoje que o Turismo faz uso de produções audiovisuais para promover destinos, hotéis e atrações. O cinema parece se manter como uma das plataformas favoritas, mas as telas verticais dos celulares ganham espaço, principalmente com o investimento de redes sociais no segmento.

Em junho passado, o Instagram lançou seu visualizador de vídeos longos, uma espécie de Youtube, apelidado de IGTV. O novo canal permite criações que durem até 60 minutos, uma enormidade se comparados aos 60 segundos do passado.

O CEO do Instagram, Kevin Systrom, resumiu à época que o IGTV é “um novo aplicativo para assistir a vídeos longos em formato vertical de seus Instagramers favoritos”. “O Instagram foi sempre um lugar para se conectar com pessoas que nos inspiram, educam e entretêm diariamente.”

Este foi o convite para que fornecedores da indústria do Turismo, como hoteleiros e companhias aéreas, investissem no novo formato. Influenciadores da rede abraçaram a ideia e hoje é possível consumir com certa facilidade conteúdo turístico no formato vertical.

O formato se consolidou de vez nesta semana com o lançamento do Snap Originals. Apesar de ter perdido espaço no mercado brasileiro, o Snapchat segue forte em meio a usuários na Europa e nos Estados Unidos, principalmente.

Conteúdos originais estarão disponíveis para os usuários, numa espécie de Netflix para o formato vertical. Por ora o Snap Originals oferece somente séries de suspense e documentais. O convite para a indústria no Turismo entrar nessa onda, no entanto, está feito.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA