ILTM revela otimismo para Turismo de luxo na Ásia-Pacífico

|

O mais recente relatório da ILTM sobre a recuperação do setor revela um cenário otimista para o Turismo de luxo na região Ásia-Pacífico (Apac) em 2021 e nos próximos anos. Apesar dos efeitos da covid-19 persistirem globalmente, muitos dos 55 países da Apac foram considerados excelentes exemplos de resiliência durante um período que revolucionou a indústria de viagens. À medida que a pandemia de covid-19 apresenta sinais de melhora, as economias da região Ásia-Pacífico estarão entre as primeiras a se recuperar.

PANROTAS / Emerson Souza
A China é responsável pela maior parte (49%) dos gastos da Ásia-Pacífico no setor
A China é responsável pela maior parte (49%) dos gastos da Ásia-Pacífico no setor
De acordo com o levantamento, os viajantes da região contribuem com US$ 363 bilhões para o mercado de luxo anualmente. Do total de gastos globais com passagens aéreas e hospedagens (US$ 1,41 trilhão), 16,4% (US$ 231 bilhões) é contribuição de indivíduos da região Ásia-Pacífico. Mas quase metade desse valor (US$ 112 bilhões) é contribuição de indivíduos High NetWorth (HNW), aqueles com mais de US$ 1 milhão em patrimônio. Isso demonstra o enorme valor desse mercado para o setor de luxo global, visto que a população rica da região é a que mais cresce no mundo, com uma taxa anual de crescimento de 7,6%.

A China é responsável pela maior parte (49%) da contribuição de US$ 231 bilhões ao mercado de luxo, o que equivale a US$ 114 bilhões em gastos com passagens e hospedagens. Desse total, mais da metade (52%) é feita pela população HNW da China, cerca de 29% da população total HNW da Ásia-Pacífico. No entanto, o futuro da indústria de luxo na região não depende apenas da China, mas também de mercados como Japão, Austrália, Coreia do Sul, Vietã, Índia e Filipinas, cujas populações HNW estão em crescimento acelerado.

VIAGENS INTERNACIONAIS

Uma grande quantidade de viagens internacionais ocorre dentro da própria Ásia-Pacífico. Os gastos com viagens internacionais de indivíduos da Apac são estimados em cerca de US$ 65 bilhões por ano, dos quais 57,5% (US$ 37,4 bilhões) são utilizados na própria região. Os viajantes da China contribuem com 45% do total gasto na região, o que equivale a cerca de US$ 16,9 bilhões. Além disso, uma grande parte desse valor vem da população HNW, que gasta US$ 18,1 bilhões (48%).

Globalmente, o ecossistema de viagens de luxo é estimado em US$ 1,54 trilhão por ano, sendo que os viajantes da Apac contribuem com US$ 251 bilhões (16%). Desse valor, US$ 72 bilhões são gastos durante viagens internacionais, tanto na região Apac quanto fora dela. O gasto de saída da Apac (28%) é maior do que a média global de 23% devido, principalmente, ao fato de que muitas das atividades acontecem fora da região, principalmente eventos esportivos. Isso indica que muitos indivíduos NHW da região devem viajar para o exterior em busca de atividades favorecidas pelo setor, como grandes eventos esportivos.

POR SEGMENTO

A categoria de alimentos e bebidas (A&B) é a mais significativa do ecossistema de viagens de luxo. Quando viajam internacionalmente, dentro ou fora da região, os viajantes da Ásia-Pacífico estão particularmente interessados em experiências de jantares formais, contribuindo com 30% da receita global do setor. Os viajantes HNW da Apac contribuem com 59% do total de gastos com jantares formais mais caros (restaurantes) e 16% dos gastos com jantares casuais mais baratos (cafés, fast food).

Os viajantes da Apac contribuem com 10% do total de gastos em atividades culturais, incluindo museus, zoológicos, parques temáticos e atrações históricas. Os turistas HNW gastam US$ 529,4 milhões em atividades culturais quando viajam para o exterior, o que representa 23% do total de gastos desses viajantes e 16% do total gasto pelos viajantes da Apac.
Já as atividades de wellness são uma tendência global e os viajantes da Apac têm destinado parte de seus gastos para esse segmento. Os turistas da região gastam 5,1 bilhões (21,5% do total) nessas atividades, especialmente em tratamentos de saúde e beleza. Já os viajantes HNW gastam US$ 2,4 bilhões em atividades de wellness durante as viagens, cerca de 47% do total gasto pelos indivíduos da região. Os gastos em tratamentos de beleza e saúde são estimados em US$ 2 bilhões, o que equivale a 59% do total da Apac. Esses dados refletem uma enorme tendência na região de cuidados com a beleza utilizando produtos de luxo, cujo crescimento está ultrapssando o de outros mercados ricos.

O maior interesse da população rica da Ásia-Pacífico, no entanto, são os esportes. O gasto total dos turistas da região nesse segmento é de US$ 610,4 milhões, o que representa 13% do total global. No entanto, os gastos em eventos de golfe e tênis são particularmente altos - 29% e 30% do total global, respectivamente. Além disso, cerca de 28% do gasto anual da Apac em eventos esportivos é contribuição de indivíduos HNW, o que equivale a US$ 169,7 milhões. Essa contribuição é quase o dobro da média global de HNW de 15%, refletindo o fato de que o esporte é a atividade preferida dos indivíduos baseados na região Apac.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA