Boeing suspende voos do 737 Max por problema no motor

|

Divulgação
O Boeing 737 Max 9 realizou seu primeiro voo-teste em abril, com sucesso
O Boeing 737 Max 9 realizou seu primeiro voo-teste em abril, com sucesso

A Boeing anunciou nesta semana a suspensão de todos os voos de seu 737 Max, devido a um potencial problema no motor do modelo. Segundo o site norte americano ATW, a decisão foi tomada após a empresa ter sido informada pela CFM International, que fornece o motor LEAP-1B usado na aeronave, que um possível problema teria sido detectado em um processo de inspeção de qualidade.

"A CFM nos notificou de um possível problema de qualidade de fabricação nos discos de turbina de baixa pressão (LPT) em motores LEAP-1B entregues à Boeing", afirmou a fabricante de aviões em comunicado. "Estamos trabalhando com a CFM para inspecionar os discos em questão. A CFM e seu fornecedor nos notificaram depois de descobrir o problema como parte de seu processo de inspeção de qualidade. Em nenhum momento tivemos um problema associado ao LPT durante nosso programa de testes Max em andamento", ressaltou a Boeing.

ENTREGA DO MODELO B737 MAX 8 É MANTIDA
Tomada como uma medida de “cautela”, a suspensão ocorre no mês em que a fabricante se preparava para a entrega de seus primeiros 737 Max 8, sendo a primeira destinada a Malindo Air, da Malásia. A Norwegian Air é outra que deve receber em breve os novos modelos, com previsão de início de operações na próxima temporada de verão no país.

Os planos da Boeing, porém, não mudam, e as entregas previstas não foram canceladas. “Nosso plano de iniciar as entregas em maio está mantido”, disse a Boeing, acrescentando que não haverá parada na produção dos modelos Max ou na produção e entregas das aeronaves 737.

A suspensão acontece também menos de um mês após o 737 Max 9 realizar seu primeiro voo-teste, com sucesso, nos Estados Unidos.

A Boeing fez questão de enfatizar que não registrou nenhum problema associado ao LEAP-1B em todos os seus testes de voo. "O programa de testes de voo do Max 8 usou por mais de duas mil horas os motores, incluindo testes de abuso e voos com duração superior a nove horas, passando por inspeções minuciosas", afirmou a Boeing. “O LEAP-1B e o 737 Max 8 foram certificados para os mais exigentes requisitos da aviação comercial ", defendeu a fabricante.

Um porta-voz da CFM confirmou que o problema não foi descoberto em testes de voo ou em qualquer aeronave, mas durante uma inspeção de qualidade na fábrica, e a decisão de suspender os voos foi feita apenas como uma medida de cautela.


*Fonte: ATW

conteúdo original: http://bit.ly/2q7fYMZ
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA