Natal suspenderá voos noturnos; Tap pode reforçar Recife

|


Reprodução/Aeroporto de Natal

O polêmico e distante aeroporto internacional Governador Aluízio Alves, que serve a Natal mas se situa em São Gonçalo do Amarante, a cerca de 50 quilômetros do centro da capital potiguar, não terá operação de voos noturnos em setembro e outubro.

A Concessionária Inframerica, administradora do terminal, admitiu a existência de sérios problemas estruturais na pista do aeroporto,como noticiou o Portal PANROTAS em março. Na ocasião, adiantou que as obras, que chamou de "manutenção", se realizariam no segundo segundo semestre e durariam em torno de 30 dias. Porém, segundo fontes ligadas à aviação comercial, o conserto da pista não vai durar menos de dois meses.

A Inframerica, que confirmou hoje as obras para setembro e outubro, sem especificar o período exato, lembra que a pista de pouso e decolagem do aeroporto de São Gonçalo do Amarante foi construída pelo Exército, com extrema rapidez, para operar na Copa do Mundo de 2014. A empresa, na verdade, venceu a licitação da privatização do terminal com a pista já concluída.

Vários voos noturnos nacionais serão suspensos com a paralisação da pista. Vale lembrar que, geograficamente, Natal é destino tanto final como inicial. Daí, tem amplo movimento de madrugada. Das quatro empresas nacionais que operam para Natal, Latam, Gol, Azul e Avianca Brasil, só a última não tem voo de madrugada. Outro problema: a capital potiguar tem quatro frequências semanais noturnas da Tap, única empresa aérea a ligar Natal com a Europa.

Segundo o parceiro da PANROTAS em Portugal, Presstur, a operação da Tap no Recife será reforçada enquanto o aeroporto de Natal estiver em obras. Sem entrar em detalhes, a única aérea internacional a operar no terminal apontou que os passageiros com reserva para a capital potiguar poderão ser remanejados à capital pernambucana. "A solução apresentada pela concessionária do aeroporto para manter o funcionamento durante o período de obras não garante as condições de segurança e regulamentares para a operação de aviões widebody, que é o tipo de aeronave com que a Tap opera”, justificou a companhia. "Logo que estejam de novo reunidas as condições, a Tap retoma a operação a Natal."

POSICIONAMENTO OFICIAL
Instantes depois da publicação desta notícia, a administradora do aeroporto enviou comunicado para esclarecer a situação. Veja na íntegra.

"A Inframerica ressalta que a pista do Aeroporto de Natal é segura e atende aos requisitos de segurança operacional e das normas da Anac. A pista entrará em manutenção no início do segundo semestre e vai durar 30 dias.

O processo executivo da obra já está elaborado e sendo discutido com os órgãos competentes e atores envolvidos.

Durante o período de obras o Aeroporto de Natal continuará operacional, garantindo que pousos e decolagens ocorram de forma segura.

A Inframerica está trabalhando para que o prejuízo e o impacto aos passageiros seja o menor possível.

A administradora assumiu a concessão do Terminal em julho de 2012, tendo entregue às obras de sua responsabilidade em junho de 2014, sete meses antes do previsto em contrato.

O contrato de concessão previa a construção do terminal e não contemplava a construção de uma pista de pousos e decolagens, obra que já estava concluída pelos órgãos competentes e foi entregue ao administrador para operacionalização.
"

 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA