AEROPORTOS

Iata destaca impacto dos furacões e recuperação do Brasil


Flickr/Thomas Rousing
Crescimento de 5,7% no número de passageiros transportados por quilômetro é o menor desde fevereiro
Crescimento de 5,7% no número de passageiros transportados por quilômetro é o menor desde fevereiro
A passagem dos furacões Irma e Maria influenciaram diretamente no pior índice de passageiros internacionais dos últimos meses. A Associação Internacional de Transportes Aéreos (Iata) divulgou os resultados integrais de passageiros aéreos em setembro, mês que apresentou o menor crescimento desde fevereiro, atingindo 5,7% de alta em comparação ao mesmo período de 2016.

A comparação mês por mês também mostra os efeitos dos furacões na região do Caribe. Pela primeira vez nos últimos sete meses o volume de passageiros foi menor de um mês para o outro, afetando, em muito, as rotas das companhias aéreas norte-americanas. Elas, ainda, foram as mais afetadas, tendo uma queda no crescimento RPK, de 5,6% [em agosto] para 3% neste mês.

O mercado América Latina, por sua vez, teve alta de 7,1%, mesmo número da Europa. O maior (+8,7%) foi para trechos rumo à região da Ásia-Pacífico.

BRASIL EM RECUPERAÇÃO

Os resultados da Iata também destacam a recuperação do mercado aéreo no Brasil. Após crescer 5,5% em agosto, o RPK doméstico voltou a ter alta, agora de 6,5%, em setembro, apresentando o resultado mais otimista desde julho de 2015.

"Com a contínua recuperação da economia, os índices domésticos tendem a ter um crescimento anual de dois dígitos", constatou a Iata em comunicado.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA