EUA adia punição aos Emirados Árabes após desavença

|

Divulgação
Companhias norte-americanas reclamam de benefícios de concorrentes como a Emirates
Companhias norte-americanas reclamam de benefícios de concorrentes como a Emirates
O governo dos Estados Unidos não vai tomar medidas punitivas contra os Emirados Árabes Unidos e Qatar após violações do acordo de céus abertos, mas deixou a possibilidade em aberto, segundo publicação do Business Travel News. A U.S. Travel Association disse que foi recusado pela administração dos destinos o pedido das companhias aéreas norte-americanas para congelar novos voos.

Os representantes das companhias aéreas norte-americanas sentaram na última semana com funcionários do Departamento de Estado para discutir alegações de que Emirates, Etihad e Qatar Airways se beneficiam de bilhões de subsídios governamentais. As autoridades optaram por conversas informais com as duas nações do Golfo, ao invés de abrir consultas formais do acordo.

No entanto, a U.S. Travel Association afirmou que não foi provado, de fato, uma violação do acordo e que não houve, até então, nenhum dano econômico, mas as ações podem prejudicar outros setores, de acordo com o CEO da U.S. Travel Association, Roger Dow.

Já o porta-voz da parceria Open & Fair Skies (uma coalizão que inclui a American Airlines, Delta e United Airlines), Jill Zuckman, agradeceu a administração de Donald Trump por “tomar medidas para nivelar o campo de jogo.


*Fonte: Business Travel News

conteúdo original: http://bit.ly/2zfh65R
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA