Em carta a ministro, Rotunno pede nova postura no setor

|

Divulgação/ABR
Luigi Rotunno, presidente da ABR e diretor geral do La Torre, e Marx Beltrão, Ministro do Turismo
Luigi Rotunno, presidente da ABR e diretor geral do La Torre, e Marx Beltrão, Ministro do Turismo

O presidente da Associação Brasileira de Resorts (ABR), Luigi Rotunno, divulgou hoje uma carta aberta enviada ao novo ministro do Turismo, Marx Beltrão, enfatizando a importância do governo dar mais atenção ao setor e de se adotar uma nova postura estratégica.

Para Rotunno, que também é diretor geral do La Torre Resort, tornar o Brasil um país constantemente atrativo para os turistas – e não apenas durante eventos como Copa do Mundo e Olimpíada – passa por entender, a fundo, o que significa a “marca Brasil” e a melhor forma de trabalha-la. E não apenas repetir chavões conhecidos. “Divulgar o turismo brasileiro não se limita exclusivamente a desenvolver sua atividade turística, mas também a contribuir de forma ativa reforçando a imagem do Brasil a nível econômico, ético e social. O Turismo interfere diretamente e indiretamente na balança comercial da economia de um país”, aponta.

A carta se seguiu a um encontro entre ambos, em que foram debatidos os projetos de lei atualmente em curso no Congresso que mais interessam ao Turismo. O ministro destacou, principalmente, a importância da legalização dos cassinos no Brasil.

Confira abaixo a íntegra do documento assinado por Luigi Rotunno. Os grifos são todos do autor.

O turismo é o setor de marketing da nação

Mesmo com diversas tentativas passadas de estruturar o Turismo como um segmento importante da economia brasileira, devemos admitir que tivemos uma série de insucessos. Talvez tenha chegado a hora de parar de dizer que “o turismo é a mola propulsora do Brasil”, essa frase, já repetida inúmeras vezes nos discursos dos Ministros do Turismo, não foi um sinal de sorte para o setor.

Por falta de direção ou de planejamento em longo prazo, a realidade é que o turismo brasileiro não decola. Mesmo com eventos grandiosos, como uma Copa do Mundo e as Olimpíadas, a vinda de turistas estrangeiros é esporádica e limitada a esse tipo de evento. Logo após as cerimônias de encerramento desses grandes eventos, a frequência de visitantes de outros países ao Brasil parece cair no esquecimento.

Analisar o turismo brasileiro é um trabalho complexo e de grande importância, mas assim como acontece em uma empresa, o Turismo precisa entender o seu “por que”. Devemos identificar “por quê?” queremos que o Brasil desenvolva seu Turismo.

Acredito que o turismo é o gestor da marca de um país. Através da cultura, das belezas naturais e da infraestrutura turísticas, estamos apresentando a identidade de um país no mundo. O Turismo gera e transporta conhecimento, que acaba criando pontes entre pessoas e economias.
O turismo é o pilar da confiança e de compartilhamento de conhecimento entre sociedades diferentes.

Devemos entender a importância da marca Brasil. O Turismo deve encabeçar essa ideia e posicionar-se como o gestor comunicador da marca Brasil dentro e, especialmente, fora do país. Um país precisa de uma marca forte que reflita sua identidade e estabeleça parâmetros de credibilidade, interesse, empatia e, principalmente, de cultura. Divulgar o turismo brasileiro não se limita exclusivamente a desenvolver sua atividade turística, mas também a contribuir de forma ativa reforçando a imagem do Brasil a nível econômico, ético e social. O Turismo interfere diretamente e indiretamente na balança comercial da economia de um país.

Um país com a atividade de Turismo desenvolvida atrai investidores, facilita negócios internacionais, incentiva a compra de produtos brasileiros no exterior e fortalece a imagem do povo brasileiro. O Turismo, quando explorado de forma correta, cria um ambiente de negócios extremamente favorável.

O Turismo deve ser visto como um aliado importante para o crescimento da economia do país. Não podemos enxergar a atividade turística unicamente como um fim a si mesma, pois ela é responsável por inúmeros resultados indiretos e relevantes a economia de um país.

O setor do Turismo age como o marketing de um país. Especialistas em Turismo não vendem apenas os seus serviços - hotéis ou resorts,
eles vendem o Brasil como um todo.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA