56% dos turistas estrangeiros em 2016 eram da Am. do Sul

|

Marluce Balbino
À direita, o presidente da Riotur, Marcelo Alves recepciona turistas da Olimpíada
À direita, o presidente da Riotur, Marcelo Alves recepciona turistas da Olimpíada

No início do ano o Ministério do Turismo anunciou que, com o impulso da realização dos Jogos Olímpicos Rio 2016, o Brasil bateu recorde de turistas estrangeiros: 6,6 milhões. Nesta segunda-feira, o ministério divulgou dados de seu Anuário Estatístico, mostrando que o maior fluxo desses visitantes veio de países vizinhos.

Mais da metade dos turistas internacionais eram vizinhos do Brasil. Se considerados os países da América do Sul como um todo, a porcentagem é de 56,7%, ou 3,7 milhões de turistas. Os europeus foram responsáveis por 24,4% desse fluxo, com os norte-americanos abrangendo 11,2% dessas entradas.

A Argentina liderou o movimento, trazendo para o País 2,3 milhões de turistas. Os cinco primeiros lugares do ranking são ocupados por quatro países sul-americanos. Na segunda colocação, os Estados Unidos, com 570 mil turistas, é o “penetra” da lista, que se completa com Paraguai (316,7 mil visitantes), Chile (311,8 mil) e Uruguai (284,1 mil). Dentre as nações europeias, a França foi a que mais movimentou o Turismo internacional, trazendo ao Brasil 263,7 mil pessoas.

O ministro do Turismo, Marx Beltrão, acredita que “os bons números só comprovam que estamos no caminho certo, mas queremos ainda mais. Estamos investindo fortemente na melhoria da infraestrutura turística e qualificação profissional para recebermos cada vez melhor esses turistas”. A meta da pasta, segundo Beltrão, “é colocar o Brasil em definitivo na prateleira dos grandes destinos mundiais e para isso devemos lançar em breve um conjunto de medidas para impulsionar a atividade no país”.

É evidente que a Olimpíada e Paralimpíada tiveram grande influência nos resultados de 2016. Durante o período dos jogos, os crescimentos percentuais no comparativo com o ano anterior foram enormes. Em agosto, 542,9 mil estrangeiros entraram no Brasil (+48%) e, em setembro, o número foi de 422,2 mil visitantes (+74%). Apesar disso, o maior fluxo de entradas internacionais no País ocorreu durante o verão, liderados por janeiro (1,1 milhão) e fevereiro (810,5 mil).

VISTOS
Australianos, canadenses, norte-americanos e japoneses entraram no Brasil, durante as Olimpíadas, isentos de vistos. Entre 1º de junho e 18 de setembro, meses em que a medida esteve em teste, os quatro países trouxeram 163 mil visitantes ao País. Destes, 74,06% utilizaram a dispensa e, segundo o ministério, 85% afirmou que a manutenção da isenção de vistos facilitaria um possível retorno ao Brasil.

De acordo com o MTur, estes visitantes injetaram na economia nacional cerca de US$ 167,7 milhões. O valor representa 8,68 vezes mais que o montante que seria arrecadado em taxas consulares.

MEIO DE TRANSPORTE
A aviação foi o modal preferido dos turistas internacionais, somando 4,4 milhões de entradas. Vias rodoviárias foram a escolha de dois milhões de visitantes, acompanhados dos acessos fluvial (95,9 mil) e náutico (40,4 mil).
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA