Professor aponta falta de planejamento no Turismo nacional

|


Jhonatan Soares
No último dia da Abav Expo, o professor-pesquisador do Centro Universitário Senac SP, Fernando Kanni, realizou uma palestra sobre o gerenciamento de destinos e sua capacidade de governança. Kanni ressaltou um maior apoio do setor público, investimento no Turismo de experiência e adaptação às mudanças tecnológicas.

“Os órgãos públicos são sistematicamente corrompidos”, afirmou o professor ao abordar a falta de apoio do setor público no Turismo. Para Kanni, há uma falta de planejamento que impede o total desenvolvimento do setor no Brasil e isso só será corrigido quando houver uma coalizão de esforços das partes interessadas.

“Temos soluços de avanços, mas não estamos perto de alcançar nosso potencial”, opinou Kanni. Para ele, uma solução seria a produção em massa de experiências personalizadas, sinalizando que os turistas que fazem das cidades um destino, e hoje, conseguem alcançar lugares cada vez mais remotos e diferenciados.

Também parte da transversalidade da “indústria da felicidade”, há as mudanças de base tecnológica e suas implicações. Esse contexto, segundo Kanni, coloca em cheque diversos atores, exemplificado no fato de empresas tradicionais estarem competindo com empresas muito mais novas, mas que já foram criadas em meio à revolução digital.

O professor-pesquisador ainda alertou gestores, empresas e destinos: “O Turismo está crescendo, mas está sendo pulverizado”.

PARANÁ
Citando o conceito de Cidades Inteligentes, Kanni reforçou a fala de Ana Clévia em palestra realizada ontem. O Estado mais avançado no Turismo brasileiro, mas ainda a “passos de formiguinha”, é o Paraná. O motivo é contar com um plano a longo prazo estruturado municipalmente.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA