Ameaças levam França a criar app com alerta terrorista

|

Reprodução/Governo da França
App é gratuito e possui versões em francês e inglês

Ameaças consecutivas levaram o governo francês a lançar um aplicativo de celular para alertar franceses e estrangeiros de ataques terroristas. A preocupação com a segurança do país, abalada após o atentado e as mortes em 14 de novembro, voltou à tona na véspera da Eurocopa. Países como Inglaterra e Estados Unidos emitiram avisos oficiais sobre riscos durante a competição.

O app foi lançado pelo Ministério do Interior e, de acordo com os criadores, será enviada aos usuários uma mensagem sempre que houver “suspeita de ataque”. A ferramenta também avisará os usuários sobre “acontecimentos inesperados”. Um exemplo desses acontecimentos é o “rompimento das defesas contra inundações”.

A ideia é que as mensagens apareçam no aplicativo em menos de 15 minutos depois do acidente ser confirmado pelas autoridades. Os avisos serão personalizados conforme a geolocalização do usuário – que deve ser ativada por franceses e estrangeiros para que a tecnologia funcione.

Segundo o governo francês, o aplicativo começou a ser desenvolvido depois dos ataques de novembro, que deixaram cerca de 130 mortos, inclusive no Stade de France, um dos estádios que recebe os jogos da Eurocopa.

O torneio de futebol está marcado para começar na próxima sexta-feira (10) e deve reunir mais de dois milhões de turistas à França.

OUTRAS FUNCIONALIDADES
O download do aplicativo é gratuito e está disponível em francês e inglês. O usuário poderá monitorar alertas de até oito zonas geográficas diferentes, um instrumento essencial para que a segurança de familiares ou amigos possa ser monitorada. A ferramenta também fornecerá conselhos de segurança conforme o incidente.

Além de propagar informações confiáveis, o governo local acredita que o app irá descongestionar linhas diretas de serviços de emergência do país. Vale destacar que o aplicativo continuará em funcionamento mesmo após o fim da Eurocopa.

 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA