Desastres aéreos: 80% ocorrem por falha humana

|

PANROTAS / Emerson Souza
O primeiro painel trouxe o tema "Serviços de Transporte Aéreo no Brasil"
O primeiro painel trouxe o tema "Serviços de Transporte Aéreo no Brasil"
Durante o painel "Serviços de Transporte Aéreo no Brasil", do seminário Luggage, Handling e Catering, realizado pela Airport Infra Expo em Guarulhos (SP), o diretor de Operações e Voo da Avianca, Norberto Raniero, questionou os custos de um acidente aéreo no setor de aviação.

"Um dos maiores desafios da aviação é evitar acidentes, e para isso é preciso investir muito no treinamento da mão de obra, já que qualquer deslize provocado por ela acarretará em custos para as companhias, não só no que diz respeito ao maquinário do avião, mas principalmente na imagem que a empresa terá depois do acidente, além da vida das vítimas", diz Raniero.

De acordo com ele, hoje 80% dos acidentes aéreos são provocados por falha humana, sendo o resto causa de problemas técnicos, cenário que se inverteu ao longo dos anos, já que no início da história da aviação a maior parte dos acidentes era provocada por conta da escassez tecnológica no setor.

"Diante do desafio de lidar com falhas humanas na aviação, que é um fator muito subjetivo, precisamos observar se os regulamentos estão sendo respeitados, se todos os procedimentos são padronizados e se a eficácia e a produção se mantêm constantes, já que todos estes fatores resultam em segurança. Mas, observe que nenhum deles deve ser priorizado em detrimento dos outros; somente com equilíbrio entre todos eles é que o fator segurança pode ser alcançado", afirmou o diretor de Operações e Voo da Avianca.

SINTOMAS FÍSICOS
As principais causas de acidentes provocados por falha humana são as condições emocionais, físicas e mentais da tripulação, a fadiga, e a relação entre homem e máquina. "Até que ponto a tripulação está realmente preparada para realizar os procedimentos de voo? É preciso saber o timing de cada funcionário diante do aprendizado sobre estes procedimentos", finaliza Raniero.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA