Uruguai convida brasileiros a investir; veja o plano do país

|

Um país transparente, sem burocracia e aberto para investimentos: essa é a principal impressão que o Uruguai quer passar ao Exterior na atração de investimentos. E foi o detalhamento dessa visão, com as melhoras que o país pretende promover em sua infraestrutura, que permeou a apresentação do presidente uruguaio Tabaré Vázquez na tarde de hoje, em almoço-debate promovido pelo Grupo de Líderes Empresariais (Lide), do grupo Dória.

Rafael Faustino
O presidente do Uruguai, Tabaré Vázquez, em seu pronunciamento
O presidente do Uruguai, Tabaré Vázquez, em seu pronunciamento

No evento, que contou com a presença do prefeito eleito de São Paulo, João Dória Junior, além do governador Geraldo Alckmin e da ministra do Turismo do Uruguai, Liliam Kechichian, bem como outras autoridades uruguaias, o presidente Vázquez mostrou o planejamento estratégico do Uruguai até 2020: um conjunto de investimentos que ultrapassa os US$ 12 bilhões. A cifra pode parecer pequena em nível internacional, mas é bom lembrar que o país, um dos menores da América Latina, tem apenas 3,5 milhões de habitantes.

“Não queremos discutir se teremos maior peso do mercado ou Estado. O fundamental é todos os lados saberem seu papel e trabalharem juntos”, enfatizou Vázquez, ao citar o caráter público-privado do planejamento. Do total dos investimentos, um terço será de parcerias entre as duas áreas, e nas outras duas partes a iniciativa privada ainda poderá explorar a participação para obter lucros.

O presidente uruguaio não falou especificamente sobre o Turismo, mas estimou que o país novamente receberá, neste ano, algo entre 2,5 milhões e três milhões de viajantes do Exterior. Em 2015, foram 2,9 milhões.

Rafael Faustino
Autoridades brasileiras e uruguaias, além dos principais representantes do Lide, acompanharam a execução do hino nacional uruguaio
Autoridades brasileiras e uruguaias, além dos principais representantes do Lide, acompanharam a execução do hino nacional uruguaio
Veja abaixo os principais pontos do planejamento estratégico uruguaio para os próximos anos:

ISENÇÃO DE IMPOSTOS
Reforçar a infraestrutura do País, em especial em estradas, linhas férreas e capacidade produtiva, é o principal eixo do plano. Para isso, o Uruguai possui zonas francas para atuação industrial logística, na área de serviços e também espaços mistos. Em todos eles, há isenção de impostos sobre rendas empresariais, patrimônio e importações. Também não há limitação à repatriação de divisas para o Exterior.

ENERGIA
A inspiração do plano é o semelhante feito no setor energético. “Éramos importadores de energia há 20 anos, e hoje passamos a exportadores, sendo referência em uso de energia eólica”, destacou Tabaré Vázquez. Hoje, o Uruguai tem 96% de toda sua energia produzida em fontes renováveis, sendo que, dessa fatia, 30% vem de parques eólicos espalhados pelo país.

EDUCAÇÃO
O Uruguai alcançou recentemente o posto de único país a dar laptops a 100% dos alunos da rede pública de ensino. Com isso, a formação de bons profissionais deverá ser outro pilar do futuro uruguaio. Também há iniciativas para ensino de idiomas por parte do Estado, não só de inglês, mas de mandarim também. "Temos uma equação clara na mente: crescimento econômico mais justiça social é igual a desenvolvimento humano. E é isso que queremos para o Uruguai", definiu o presidente.

Rafael Faustino
Tabaré Vázquez e o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin
Tabaré Vázquez e o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin

CONECTIVIDADE
Outro ponto de apoio para o país sul-americano é sua boa conectividade: o Uruguai é líder na América Latina em velocidade média de banda larga, fruto da expansão de cabos de fibra óptica que o país realizou nos últimos anos.

RESULTADOS
Com o impulso dado à infraestrutura, o país pretende manter seu bom desempenho econômico recente. Mesmo durante a crise econômica, o PIB uruguaio esteve em crescimento, e a alta anual média entre 2007 e 2017 deverá ser de 4,2%, ficando atrás apenas do Peru entre os sul-americanos. O Brasil é o último da lista, com apenas 1% de crescimento ao ano. "Os brasileiros que apostarem em nosso país podem ter certeza que encontrarão um ambiente de negócios transparentem, com bases claras e que trazem benefícios mútuos.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA