Eventos no Rio receberão aporte federal de R$ 150 mi

|

Emerson Souza
Lúcio Macedo, vice-presidente da Riotur, presente durante a apresentação do projeto em São Paulo
Lúcio Macedo, vice-presidente da Riotur, presente durante a apresentação do projeto em São Paulo

É com um aporte de R$ 150 milhões que o Governo Federal pretende investir no carro-chefe da economia fluminense: os eventos ligados ao Turismo. Lançado há pouco mais de uma semana, o projeto Rio de Janeiro a Janeiro, fruto de uma união entre os governos federal, estadual e municipal com a iniciativa privada, promete impulsionar o Turismo, que atualmente corresponde a 4% do Produto Interno Bruto (PIB) carioca.

“O Rio de Janeiro, incontestavelmente, é a porta de entrada de turistas internacionais no Brasil, além de ser também o principal destino dos viajantes nacionais. Apesar disso, nunca antes o Governo Federal havia tomado a iniciativa para articular um calendário de eventos estratégicos no Estado”, explicou o ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, durante a apresentação do projeto em São Paulo, na manhã desta terça-feira.

Emerson Souza
Sérgio Sá Leitão, ministro da Cultura
Sérgio Sá Leitão, ministro da Cultura
Ao todo, mais de 100 eventos foram incluídos no calendário estratégico do projeto, que não foram escolhidos aleatoriamente. Segundo o ministro, cinco critérios foram levados em conta na seleção dos eventos. “Impacto no Turismo [em âmbito estadual e municipal], geração de emprego e renda, inclusão social, atração de investimos e potencial de continuidade”, pontuou.

Além do aporte federal, que também investirá outros R$ 50 milhões na divulgação dos eventos — que abrangem áreas como o próprio Turismo, além do esporte, cultura e negócios —, a iniciativa privada também deverá ser responsável por um montante de R$ 1 bilhão. Entre novembro e dezembro, o Ministério da Cultura ainda deverá abrir inscrições para novos eventos.

Com um número abrangente de leitos disponíveis, além de grupos hoteleiros já otimistas com o projeto, diferentes segmentos turísticos deverão ser beneficiados. “Estrutura o Rio de Janeiro tem, o que faltava era uma estratégia de incentivo”, finaliza o ministro.

CIDADE MARAVILHOSA
Palco dos Jogos Panamericanos e, mais recentemente e como maior proporção e visibilidade mundial, da Olimpíada, a cidade maravilhosa não pode deixar de ser citada. “A exemplo de Barcelona, queremos usar o legado dos Jogos Olímpicos na atração dos turistas — que estiveram presentes no ano passado ou que se sentiram atraídos ao acompanhar a competição”, afirmou o vice-presidente da Riotur, Lucio Macedo.

Ainda segundo ele, foram cerca de cinco milhões de visitantes durante os jogos, além do intuito de atraí-los novamente ao Rio de Janeiro, o calendário de eventos deverá promover outros destinos nacionais. “Seja no interior do Rio de Janeiro ou em outros Estados”, pontua.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA