Embratur e taxações ao Airbnb pautam debate no Conotel

|

Jhonatan Soares
Os deputados Magda Mofatto e Herculano Passos, com o presidente da Embratur, Vinicius Lummertz e o presidente do conselho empresarial da CNC, Alexandre Sampaio
Os deputados Magda Mofatto e Herculano Passos, com o presidente da Embratur, Vinicius Lummertz e o presidente do conselho empresarial da CNC, Alexandre Sampaio

Para o presidente do conselho empresarial da CNC, Alexandre Sampaio, o caminho para lidar com o desconforto que o Airbnb causa na hotelaria é simples: “serviço novo, taxação nova”. Em fala durante o 59º Conotel, o dirigente defendeu que valores arrecadados com esses serviços que hoje não contribuem formalmente poderiam formar um fundo de promoção e divulgação do Brasil como destino turístico, com ação via Embratur. “27,5% (de imposto) é muito pouco pra eles, precisa colocar um pouco mais para equilibrar as coisas e ter um processo mais justo”, afirmou.

Presente no painel, o presidente da Embratur, Vinicius Lummertz, disse que a fase atual do Turismo no País requer uma organização que ajude a internacionalizar o Brasil. “Nós teremos um papel especial neste processo”, defendeu, fazendo paralelo com outra grande indústria brasileira: a pecuária. “Nós temos a mesma missão impossível da agropecuária, que tinha de tornar um País importador de comida em um dos maiores exportadores de carne no mundo. É a mesma missão impossível com o Turismo no Brasil.”

A deputada federal Magda Mofatto defendeu o investimento em comunicação no Turismo e disse haver suporte para isso em Brasília. “Está claro para o governo que é preciso tirar do papel este plano de marketing turístico”, comunicou. Frase esta que vai de encontro com o pedido de Lummertz em sua fala: “não faremos essa mudança sem investimentos, devemos corrigir esse ambiente e nós o estamos fazendo.”
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA