Crise Catalã afeta aéreas e cruzeiros em Barcelona

|

Divulgação/Catalan Government
O presidente catalão Carles Puigdemont se pronunciou após o referendo
O presidente catalão Carles Puigdemont se pronunciou após o referendo
No último domingo (1), um polêmico referendo sobre a independência da Catalunha contra a Espanha, que resultou em 90% dos 2,2 milhões de eleitores escolhendo "sim", acabou colocando em choque os catalães que desejavam realizar seu voto contra a Polícia Nacional e Guarda Civil espanhola, acionadas pelo governo do país para tentar impedir o referendo. Segundo o presidente catalão, Carles Puigdemont, foram ao menos 800 feridos no confronto.

Desde então, repercussões da crise política levaram redes de cruzeiros e companhias aéreas a cancelar ou adiar suas operações, além de recomendarem que passageiros troquem suas passagens para datas posteriores.

Segundo o site Travel Agent Central, um exemplo é a American Airlines, que está permitindo que clientes com voos marcadas para a região até 13 de outubro remarquem gratuitamente para datas posteriores, na mesma rota e cabine. A Air Canada teria seguido o mesmo caminho, anunciando que passageiros com voos programados até a mesma data, de 13 de outubro, possam remarcar seus tickets para até 2 de dezembro; a companhia permitiu também que o destino seja alterado, mas com a aplicação da diferença tarifária

No setor marítimo, dois navios da companhia alemã Mein Schiff tiveram que cancelar paradas em Barcelona devido ao conflito, segundo o site Express.co.uk. O primeiro deles foi o Mein Schiff 3, que deveria ter parado na cidade no dia da votação; já o Mein Schiff 5 deveria ter chego na capital catalã nesta terça (4). Ambos retornaram a cidade de Valencia.

Segundo o Escritório de Turismo de Barcelona, as atividades turísticas na cidade já acontecem normalmente, após o choque entre votantes e polícia durante a votação do referendo. "O Turismo de Barcelona condena as cenas da violência que ocorreram em Barcelona e outras partes da Catalunha por ocasião do referendo", afirmou a organização. "Os atos que afetaram o espírito civil no dia da eleição são inaceitáveis em uma sociedade democrática e avançada na União Européia", finalizou.


*Fonte: Travel Agent Central

conteúdo original: http://bit.ly/2y3ntsV
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA