CVC compra Experimento Intercâmbio por R$ 41 milhões

|


Emerson Souza
Parte da cúpula da CVC: Luiz Eduardo Falco, presidente do grupo, Marcelo Sanovicz, presidente da Rextur Advance, Guilherme Paulus, presidente do conselho, e Valter Patriani, VP de Vendas e Marketing da CVC
Parte da cúpula da CVC: Luiz Eduardo Falco, presidente do grupo, Marcelo Sanovicz, presidente da Rextur Advance, Guilherme Paulus, presidente do conselho, e Valter Patriani, VP de Vendas e Marketing da CVC

O Grupo CVC acaba de anunciar a compra, por R$ 41 milhões, da empresa de intercâmbio Experimento, uma das principais desse segmento no País. A compra de 100% da Viatrix Viagens (nome oficial da empresa) foi comunicado ao mercado pelo CFO da CVC, Luiz Fernando Fogaça.

"A aquisição permite a expansão da CVC no mercado de viagens de intercâmbio e fortalece ainda mais a relação com seus parceiros comerciais e canais de distribuição", diz Fogaça no comunicado. Há cerca de dois anos a CVC lançou seu departamento próprio de intercâmbio e em 2016 a primeira franquia especializada no segmento. Hoje são sete lojas da CVC Intercâmbio e a meta é chegar a 20. Santuza BIcalho continua no comanda da CVC Intercâmbio.

Já a Experimento tem 38 lojas no País, sendo seis próprias e 32 franquias. A meta da CVC, segundo Fogaça, é chegar a 70 lojas com a marca Experimento em três anos. Segundo ele a ideia é manter as duas marcas separadas. A Experimento tem um público de alta renda e é bastante reconhecida nesse segmento pelo público final. As atuais diretoras da Experimento, Patricia Zocchio e Roberta Zocchio, permanecerão nas funções de diretora presidente e diretora executiva, respectivamente.


Luiz Fernando Fogaça
Luiz Fernando Fogaça
"O preço base estimado pela aquisição de 100% da Experimento é de R$ 41.078.622,13 (quarenta e um milhões, setenta e o oito mil, seiscentos e vinte e dois reais e treze centavos), levando em consideração o EBITDA da Experimento projetado para o ano de 2016 e vendas totais projetadas em 2016 no valor aproximado de R$ 100 milhões", explica o comunicado.

No ano passado, a Experimento embarcou cerca de sete mil passageiros (e faturou os já citados R$ 100 milhões), em um mercado que movimenta R$ 1,5 bilhão ao ano. Já o mercado de viagens de lazer, onde a CVC é líder, é estimado em R$ 40 bilhões, e o de consolidação aérea e hoteleira, outro em que a CVC atua, via Rextur Advance, em R$ 11 bilhões no Brasil. Sabe-se que uma das metas da CVC, não confirmada pela empresa, é chegar a R$ 10 bilhões em venda como grupo, o que pode ser atingido ainda em 2016.

Além da Experimento e da Rextur Advance, a CVC também é dona da OTA Submarino Viagens. A empresa tem cerca de 1,1 mil lojas no País, sendo sete de intercâmbio.

O preço de aquisição está sujeito a ajuste com base no EBITDA efetivo do quarto trimestre de 2016, bem como no caixa líquido e no capital de giro da Experimento a ser apurado em 31 de dezembro de 2016.

O valor será pago às vendedoras da seguinte forma: 50% à vista; e 50% em duas parcelas sucessivas e anuais nos anos de 2017 e 2018, a serem atualizadas pelo CDI. Está previsto, ainda, o pagamento de um earn-out por performance para as vendedoras, no caso de atingimento de metas de vendas nos anos de 2017 e 2018.


 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA