Após saída de Alves, MTur pode ser extinto por Temer

|

Agência Brasil
O presidente interino Michel Temer.

Henrique Eduardo Alves pode ter sido o último ministro do Turismo do Brasil. Após o pedido de demissão do político, citado em delações na Operação Lava-Jato, o presidente interino Michel Temer estuda alternativas para o ministério, e uma delas é, na falta de um nome de consenso, extinguir a pasta. A informação é do jornal O Globo.

A extinção do MTur, e sua transformação em uma secretaria dentro de outro ministério, já era planejada quando Temer chegou ao poder, mas a pasta acabou servindo para alocar o aliado político Henrique Alves, que já tinha trânsito na área. Agora, Temer afirma, segundo interlocutores citados pelo jornal, que, se o ministério for mantido ainda que temporariamente, um nome “reconhecido pelo mercado do Turismo” deverá comandá-lo. O nome mais comentado atualmente é o de Vinicius Lages, que já ocupou o cargo e atualmente é diretor do Sebrae.

“É muito difícil arrumar um ministro que não dê problema”, afirmou uma pessoa próxima ao presidente interino.

Emerson Souza
Vinícius Lages é o nome mais cotado para assumir o MTur após a saída de Henrique Alves.

Com a urgência da situação, já que a proximidade da Rio 2016 torna o Turismo uma pasta estratégica no momento, Temer teria pedido para o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, e o ex-ministro do Planejamento, Romero Jucá (também envolvido na Lava-Jato) avaliarem os cenários disponíveis.

É provável que, passada a Olimpíada e o processo de impeachment de Dilma Rousseff, o presidente Michel Temer, se mantido no cargo, acabe com as pastas do Turismo e do Esporte.


*Fonte: O Globo

 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA