Desktop supera mobile com folga em reservas on-line | Tecnologia | PANROTAS
TECNOLOGIA

Desktop supera mobile com folga em reservas on-line


Divulgação

O avanço no uso de celulares e tablets não tem acompanhado a quantidade de reservas aéreas e de hospedagem feitas on-line. É o que mostra o estudo Adobe Mobile Travel Report divulgado esta semana. Foram analisadas mais de 15 bilhões de visitas a sites de hotéis e companhias aéreas dos Estados Unidos entre 2014 e 2016. De acordo com o relatório, apenas 21% das reservas on-line foram feitas via dispositivos móveis, enquanto 79% são realizadas no desktop.

Entretanto, na hora de pesquisar a história é outra. De acordo com o estudo, 52% dos consumidores buscam viagens via smartphone ou tablets. O ponto de virada, de acordo com a metodologia da Adobe, aconteceu em dezembro de 2015, quando os acessos por meio de dispositivos móveis superou o uso do desktop pela primeira vez. Contudo, como os dados relatam, ainda falta os usuários confiarem mais em seus dispositivos móveis na hora de "bater o martelo".

Nos sites diretos de viagens e hotéis especificamente, as taxas de conversão nos desktops são mais de três vezes a quantidade vista nos telefones e o dobro dos tablets. De acordo com o vice-presidente da Adobe, Matt Asay, as taxas de conversão no mobile mostram que as agências de viagens deveriam focar na maior facilitação possível do processo de compra. "As marcas que têm tido sucesso ultimamente realmente têm priorizado o mindset do mobile em seus apps e sites. Sabemos onde os usuários estão e vêm inserindo informações de pagamento, e tomamos todo cuidado com ele."

EXPECTATIVA ALTA

Ao mesmo tempo que o mobile cresce, crescem as expectativas e demandas dos clientes. Em uma pesquisa com cerca de 1.000 norte-americanos, a Adobe constatou que 44% estão contentes com os apps voltados a serviços de viagens. Os sites responsivos se saem um pouco melhor - 48% de satisfação. A simplificação de tarefas são citadas como o aspecto mais importante na experiência do mobile em termos de viagens (65%).

Millennials (30%) e geração X (34%) disseram na pesquisa que consideram a customização importante.

A busca pelo tablet mostrou uma queda, com 10% dos visitantes de sites de viagens, enquanto 41% disseram terem usado os smartphones. No comparativo anual, a baixa nos tablets é de 13%, algo que a Adobe atribui ao fato de cada vez mais celulares serem lançados com telas maiores.

Em conclusão, a Adobe observa que, uma vez que os smartphone é o item mais importante de um viajante, conforme uma pesquisa da Expedia divulgada no começo deste ano, as marcas atuantes no mercado de Turismo precisam criar ofertas cada vez melhores e mais rápidas no mobile.

 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA