Latam adota venda low cost em voos domésticos; saiba

|


Emerson Souza
Claudia Sender e Enrique Cueto
Claudia Sender e Enrique Cueto

Os voos domésticos da Latam Airlines Brasil, Chile, Colômbia, Peru, Equador e Argentina adotarão uma nova forma de venda a partir de 2017, em um modelo já utilizado e consagrado por empresas low cost/low fare e por grandes companhias americanas e europeias: o cliente escolhe sua tarifa e os serviços que deseja utilizar (e paga por isso à parte). Por exemplo, segundo comunicado da empresa, "desfrutar de uma ampla variedade de refeições a bordo, escolher o assento favorito no avião, poder mudar o voo ou devolver o bilhete". A presidente da Latam Brasil, Claudia Sender, falará amanhã com a imprensa a respeito das mudanças. Mas adiantou, no comunicado, que "com as mudanças, nossos passageiros poderão escolher como voar e poderão voar mais vezes, o que resultará num crescimento de todo o tráfego aéreo".

Segundo a Latam, as mudanças estão alinhadas com passageiros mais conectados e que valorizam ter mais opções – e o desenvolvimento da experiência digital nos voos e na empresa em geral. A mudança será feita por país e por etapas a partir do primeiro semestre de 2017.

“Nosso objetivo é que as tarifas sigam diminuindo, permitindo que cada vez mais pessoas utilizem o avião como meio de transporte e que aqueles que já o utilizam possam voar ainda mais. Este modelo busca satisfazer as necessidades dos nossos passageiros atuais, que valorizam viagens rápidas, simples e eficientes, tomam suas próprias decisões e querem ter as ferramentas para participar ativamente de sua experiência e assim fazer uma viagem sob medida, pagando somente pelos serviços que utilizarão”, destacou o CEO da Latam, Enrique Cueto,.

“No caso do Brasil, nossas tarifas médias caíram cerca de 60% na última década, permitindo o acesso a milhões de passageiros ao transporte aéreo. Nosso objetivo é seguir avançando neste caminho", acrescentou Claudia Sender. A Latam e suas filiais projetam reduzir em até 20% as tarifas mais baratas disponíveis para seus voos domésticos até 2020, depois de implementar as mudanças.
“Como a frequência de voos na região continua sendo muito inferior a de países como os Estados Unidos e a Inglaterra, onde as taxas superam duas viagens anuais por pessoa, a América Latina ainda tem muito potencial de crescimento. Por isso, com esta nova forma de viajar, estima-se um aumento de até 50% no volume de passageiros transportados até 2020, mantendo o Grupo Latam como um protagonista do crescimento do tráfego aéreo nesta região do mundo”, disse Cueto. A mudança permitirá, ainda, ao Grupo Latam "ser mais competitivo e deve assegurar sua sustentabilidade em longo prazo".

FERRAMENTAS
A empresa também destacou o investimento em ferramentas digitais, "desenhando uma experiência ágil e amigável para o passageiro". O processo de compra, check-in, embarque e pós-vendas promete ser mais simples e rápido, e "poderá ser realizado a partir de qualquer dispositivo móvel".

Uma das grandes novidades que já foi disponibilizada na maioria dos voos de curta duração da Latam e suas filiais é o sistema de entretenimento de bordo sem fio Latam Entertainment. O aplicativo on-line é gratuito e permite a todos os passageiros assistir a filmes, séries, conteúdo especial para crianças e ver o mapa do voo em seus próprios dispositivos móveis. O aplicativo já acumula mais de dois milhões de downloads em todos os países onde o grupo opera.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA