Booking tem receita de US$ 2,6 bilhões no terceiro trimestre

|

A Booking acaba de divulgar seus resultados financeiros do terceiro trimestre de 2020. As reservas de viagens brutas – que se referem ao valor total em dólares, geralmente incluindo impostos e taxas, de todos os serviços de viagens reservados por seus clientes, líquidos de cancelamentos – foram de US$ 13,4 bilhões. O total representou uma redução de 47% em relação ao ano anterior.

Divulgação
Booking registra receita total de US$ 2,6 bilhões no terceiro trimestre de 2020
Booking registra receita total de US$ 2,6 bilhões no terceiro trimestre de 2020
As diárias reservadas no terceiro trimestre diminuíram 43% em relação ao mesmo período de 2019. Os resultados da empresa para os três e nove meses encerrados em 30 de setembro foram impactados significativa e negativamente pela pandemia de covid-19 e restrições dos governos.

Já a receita total no trimestre foi de US$ 2,6 bilhões, uma queda de 48% em comparação com o 3T19. O lucro líquido foi de US$ 801 milhões, uma diminuição de 59%, e inclui um ganho não realizado em títulos de capital negociáveis de US$ 730 milhões. Além disso, a empresa registrou uma despesa de desvalorização de US$ 573 milhões para OpenTable e Kayak ágio e benefícios fiscais não reconhecidos de US$ 64 milhões relacionados a questões fiscais francesas e italianas.

O lucro líquido não-GAAP (Princípios Contábeis Geralmente Aceitos) registrou US$ 504 milhões, uma redução de 74% em relação ao ano anterior. O EBITDA ajustado foi de US$ 1 bilhão, representando uma queda de 60%.

"Ficamos satisfeitos com os resultados positivos do terceiro trimestre, que acreditamos ter se beneficiado muito de alguma suspensão dos bloqueios de viagens e liberação da demanda reprimida criada pela interrupção quase completa das viagens durante partes do segundo trimestre. No entanto, os casos de covid-19 estão aumentando em muitas partes do mundo e isso continuará impactando as viagens no curto prazo. Mas continuamos confiantes em uma recuperação de longo prazo e continuaremos a investir em nossa empresa para garantir que, quando a pandemia diminuir e a demanda por viagens retornar totalmente, estejamos preparados para aproveitá-la”, afirma o CEO da companhia, Glenn Fogel.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA