BLEISURE

1/5 dos viajantes deixa de praticar o bleisure por 'medo' da opinião do chefe

Dreamstime
A opinião dos superiores pode ditar os rumos de uma viagem corporativa
A opinião dos superiores pode ditar os rumos de uma viagem corporativa
A Egencia, braço de viagens corporativas da Expedia, realizou recente pesquisa que mostra que um quinto dos viajantes de negócios nos Estados Unidos (e quase um terço na Ásia) deixam de acrescentar dias de lazer às viagens a trabalho poque acreditam que isso não será bem visto pelo chefe.

"O insight de que muitos viajantes corporativos deixaram de fazer viagens bleisure devido à percepção do empregador revela uma oportunidade de diferenciação para as empresas. Isso porque incluir o bleisure nos programas de viagens mostra que a corporação se preocupa com o equilíbrio entre vida pessoal e profissional de seus funcionários", afirma a vice-presidente de Marketing da Egencia, Wendy White.

Feito com mais de nove mil usuários da Egencia, o estudo Egencia 2018 Bleisure Trends também revela que 68% dos viajantes a negócios realizam pelo menos uma viagem bleisure por ano e que 74% dos viajantes corporativos dos EUA estão planejando uma viagem desse tipo nos próximos seis meses. Para a Ásia, o número sobe para 87% e para a Europa, 68%.

O primeiro fator que determina se a viagem será estendida para o lazer é o destino, com quase um terço dos viajantes corporativos dos Estados Unidos priorizando esse fator em comparação com um quarto dos viajantes da Ásia e da Europa. Em segundo e terceiro lugar, respectivamente, estão a proximidade com o final de semana e se os amigos e a família estarão por perto.

Atividades, eventos e atrações realizadas no destino a ser visitado também influenciam quando os viajantes estão decidindo se desejam estender uma viagem.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA