Confira as novidades de Nova York para viajantes corporativos

|


Arquivo PANROTAS
Aos que estão cogitando a cidade de Nova York para seus eventos corporativos ou – por que não? – uma estada bleisure, é bom saber que o destino está se reinventando e ampliando de forma significativa sua oferta de hotéis e restaurantes.

Para se ter uma ideia, até o último mês de maio a oferta de quartos na cidade chegava a 113 mil, com a expectativa de subir para os 137 mil nos próximos dois anos. A abertura de propriedades este ano envolve, além do Hotel Brooklyn Bridge (já aberto em fevereiro deste ano), o The Whitby Hotel (inaugurado no mesmo mês), o 50 Bowery (aberto em maio), o Moxy NYC Times Square (com inauguração prevista para o mês que vem), o hotel Public (aberto mês passado) o The Hoxton Brooklyn (previsto para o final deste ano) e o New York Edition Times Square (que será aberto no início do ano que vem).

“A cidade está passando por um período de intenso crescimento com novidades acontecendo nos cinco distritos, o que faz deste o melhor momento para apresentar uma 'nova' Nova York aos turistas e viajantes corporativos”, afirmou o presidente e CEO do NYC & Company, Fred Dixon.

Os espaços disponíveis para eventos na cidade também são muitos, ganhando destaque o recém-reformado New York Marriott da Brooklyn Bridge, que oferece mais de 47 mil metros quadrados de cento de convenções, além do Grand Hyatt New York, que dispõe de mais de 60 mil metros quadrados de espaços para eventos com capacidade para receber até 500 pessoas, sendo um salão de 19 mil metros quadrados e outo com cinco mil metros quadrados.

Há ainda o Sheraton New York Times Square, que está bem próximo a pontos icônicos da cidade, como o Central Park, o Madison Square Garden e o Radio City Music Hall, além de dispor de um centro de conferências de 11 mil metros quadrados e um salão de 14 mil metros quadrados.

Divulgação
O ambiente descontraído do Miss Ada
O ambiente descontraído do Miss Ada
Mas se a ideia é marcar suas reuniões de negócios fora do escritório, aposte no descontraído restaurante Miss Ada, desfrutando de seu menu de coquetéis no pátio que mistura elementos rústicos e artísticos, ou no Larina Pastificio & Vino, conhecido pelas massas e por seu ambiente descontraído em meio a muito verde.

Há ainda os recém-inaugurados restaurantes em Manhattan, dentre os quais podem ser citados The Grill, Marlow Bistro, Cote, Emily West Village, The Office e Public Kitchen. Mas a cereja do bolo fica por conta da 25ª edição do NYC Restaurant Week, que acaba abrir as reservas e contará com 390 restaurantes participantes nos cinco distritos da cidade. Com data de início marcada para o próximo dia 24 de julho, o evento oferece 34 tipos diferentes de gastronomia.

E se sobrar um tempo entre as reuniões e eventos corporativos, por que não aproveitar os festivais que acontecem pela cidade, como o The Presidents Cup (que acontece de 25 de setembro a 1º de outubro desse ano), ou o Grammy Awards, que será realizado no ano que vem. Há ainda o National Geographic Encounter: Ocean Odyssey, que acontece em outubro deste ano, e o NFL Experience Times Square, que será realizado em novembro.

RECORDE DE VISITANTES
No ano passado a cidade recebeu mais de 60 milhões de visitantes, um recorde para a Big Apple, e o número deve chegar aos 61,8 milhões este ano, sendo 48,7 deles visitantes dos Estados Unidos e os demais, estrangeiros. E para receber todo esse fluxo de passageiros, os aeroportos locais e companhias aéreas estão investindo em novos terminais e lounges, a exemplo do aeroporto La Guardia, que recebeu investimentos de US$ 4 bilhões para sua revitalização, obra que deverá durar cinco anos.

O projeto prevê a completa reconstrução dos terminais A e B, além da construção de um aeromóvel que ligará o aeroporto ao sistema de trens de Long Island e ao de balsas na região. Um novo hall central que unirá todas as áreas de trânsito de passageiros é outra parte do projeto, e ainda há a possibilidade de estender a reforma aos terminais C e D.

O JFK é outro que está em obras, as quais envolvem US$ 67 milhões na reforma do Terminal 7 e serão concluídas no final do ano que vem, trazendo um novo balcão de check-in com espaço exclusivamente destinado a membros do Club World e passageiros da primeira classe, além de um novo design para o The Concorde Room.

E tudo isso mostra o quanto a cidade está se reinventando para acolher todos os turistas e viajantes corporativos que chegam para conhecê-la, oferecendo a eles uma gama de opções para que, entre um networking e outro, retornem a seus países de origem com boas lembranças.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA