GESTÃO DE VIAGENS

Academia de Viagens: business travel não é para qualquer um


Karina Cedeño
Viviânne Martins e Patricia Thomas (ambas da Academia de Viagens Corporativas) debatem esse e outros temas junto aos participantes do Workshop Oneworld
Viviânne Martins e Patricia Thomas (ambas da Academia de Viagens Corporativas) debatem esse e outros temas junto aos participantes do Workshop Oneworld
A área de gestão de viagens corporativas exige bons profissionais no mercado e, acima de tudo, aqueles que tenham um olhar estratégico e analítico em suas funções.

Dentro desse contexto, olhar o custo total da viagem e não apenas o preço é parte fundamental de uma boa gestão, de acordo com as sócias-diretoras da Academia de Viagens, Patricia Thomas e Viviânne Martins.

“Todo mundo foca no aéreo, que às vezes não é o maior custo”, comenta Viviânne. Patricia complementa: “Ao analisar o plano de compras da empresa, é preciso levar em consideração (além dos gastos com aéreo, hotel, refeições e táxi) os custos definidos como ‘outros’, que podem representar uma grande parcela. Deixar de analisar com atenção essas despesas é como desperdiçar uma oportunidade de economia”, salienta Patricia.

Gastos com wi-fi, alimentação e entretenimento a bordo são alguns exemplos de itens que merecem mais atenção dos gestores de viagens.

 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA