HOTELARIA

Accor tem volume de negócios de € 8,9 bi no primeiro semestre


Marluce Balbino
O Largo do Boticário, no Rio de Janeiro, será parte de um ousado projeto de restauro e transformação em um hotel Jo & Joe
O Largo do Boticário, no Rio de Janeiro, será parte de um ousado projeto de restauro e transformação em um hotel Jo & Joe
A Accor Hotels divulgou seus resultados da primeira metade de 2018. De acordo com o CEO da rede, Sébastien Bazin, a marca continuou sua transformação do modelo de negócios, com a venda de uma participação majoritária no capital da Accor Invest, integração da Mantra na Austrália e Mantis na África do Sul e aquisição da Gekko na França.

Para a segunda metade do ano, pode-se esperar que a Mövenpick no Oriente Médio, a Atton na América do Sul e a SBE nos Estados Unidos entrem de vez para a rede da Accor, o que permitirá a consolidação das participações de mercado e vasto leque de opções a serem oferecidas aos clientes.

Com a abertura de mais de 45 mil quartos (301 hotéis) durante este período, dos quais 19 mil foram por meio de crescimento orgânico e 25 mil pela aquisição de Mantra e Mantis, em 30 de junho o grupo contava com uma carteira de 652.939 apartamentos e um pipeline de 167 mil quartos, com 79% deles em mercados emergentes.

O volume de negócios no primeiro semestre foi de 8,9 bilhões de euros, registrando uma alta de 10,3% a câmbio constante e a receita consolidada totalizou 1,46 bilhão de euros, com um aumento de 8% e de 3% em comparação com o mesmo período de 2017.

 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA