Movida

Karina Cedeño   |   10/08/2023 13:13   |   Atualizada em 10/08/2023 13:14

Custos de viagens corporativas e eventos terão alta até final de 2024

Organizadores e gestores devem se planejar se quiserem manter os preços em nível razoável


Rawpixel.com
Aumento dos preços dos combustíveis, escassez de mão de obra e desafios da cadeia de suprimentos, juntamente com a demanda em alta, fizeram com que os preços das viagens disparassem em 2022
Aumento dos preços dos combustíveis, escassez de mão de obra e desafios da cadeia de suprimentos, juntamente com a demanda em alta, fizeram com que os preços das viagens disparassem em 2022

Os custos globais de viagens e eventos corporativos devem continuar aumentando até o final de 2024, embora em um ritmo muito mais moderado do que os aumentos acentuados observados no ano passado. As informações são da Previsão de Viagens Corporativas Globais para 2024, publicada hoje pela CWT e pela Global Business Travel Association (GBTA).

O aumento dos preços dos combustíveis, a escassez de mão de obra e os desafios da cadeia de suprimentos, juntamente com a demanda em alta, fizeram com que os preços das viagens disparassem em 2022 – superando em muito alguns dos aumentos descritos na previsão do ano passado. Espera-se que a incerteza econômica persistente e o alívio gradual das restrições, juntamente com a oferta, resultem em aumentos de preços mais moderados nos próximos 12 a 18 meses, de acordo com o relatório, que usa dados anônimos gerados pela CWT e GBTA, com informações da indústria disponíveis publicamente e modelagem econométrica e estatística desenvolvida pelo Avrio Institute.

Divulgação
Alta no custo de eventos e viagens corporativas previstos para este ano e 2024
Alta no custo de eventos e viagens corporativas previstos para este ano e 2024

“Uma forte combinação de demanda e pressões do lado da oferta impulsionaram os preços das viagens acima do esperado no ano passado”, afirma o CEO da CWT, Patrick Andersen. “Olhando para o futuro, os preços parecem estar se estabilizando com aumentos muito mais suaves projetados para os próximos 12 a 18 meses. Agora poderíamos estar olhando para o verdadeiro novo custo da viagem. Nosso foco continua sendo ajudar nossos clientes a encontrar as estratégias e soluções certas para aproveitar ao máximo seus orçamentos de viagens, cumprir seus compromissos de ESG e maximizar o ROI em seus gastos com viagens”, comenta Andersen.

“Como a pesquisa descreve, o aumento dos custos e as pressões de preços provavelmente continuarão a ser um fator significativo nas viagens corporativas no futuro. E, como vivenciamos nos últimos anos, também podemos continuar a ver diferentes flutuações de preços nas verticais da indústria, setores de negócios e regiões globais. Embora as viagens a negócios continuem a se recuperar, haverá um ato de equilíbrio contínuo entre demanda, custo e preocupações relacionadas a ESG. Portanto, com uma previsão de maior volatilidade, nosso objetivo é fornecer informações como essas para ajudar compradores, fornecedores, intermediários e executivos financeiros, fazendo com que possam entender, avaliar e ajustar suas estratégias de viagens a trabalho”, ressalta a diretora executiva da GBTA, Suzanne Neufang.

Alta no preço dos bilhetes aéreos

O preço médio global do bilhete (ATP) de voos reservados para viagens corporativas aumentou drasticamente em 2022, com altas recordes nos preços. O ATP aumentou 72,2% em relação ao ano anterior, para US$ 749 em 2022, superando em muito os níveis de 2019 (US$ 670).

Embora a demanda tenha se recuperado fortemente com o número de passageiros se aproximando rapidamente dos níveis pré-pandêmicos, fator impulsionado principalmente pela demanda reprimida de viagens de lazer, a capacidade das companhias aéreas continua limitada pela escassez de mão de obra e problemas na cadeia de suprimentos.

Olhando para o futuro, o aumento do ATP provavelmente será mais modesto, de 2,3% em 2023 e 1,8% em 2024, embora partindo de uma base já alta. Ainda assim, muitos compradores corporativos agora têm menos influência para negociar com as companhias aéreas, pois seus volumes de viagens permanecem abaixo dos níveis pré-pandêmicos.

Com US$ 855, a região da Europa, Oriente Médio e África registrou o maior ATP em 2022, em comparação com outras partes do mundo. Isso representa um aumento de 31,5% em relação a 2021. Esperam-se aumentos de preços mais modestos daqui para frente, com aumentos de ATPs previstos em 2,9% este ano e 2,2% em 2024. No entanto, em termos de crescimento ano a ano, o ATP na Ásia-Pacífico subiu 148,7% em relação ao ano anterior em 2022 para US$ 567 – o maior aumento visto em qualquer região, apesar da falta de demanda de viagens internacionais da China.

Os principais destinos de viagens a negócios, incluindo Austrália e Japão, reabriram totalmente para viajantes vacinados e retomaram os acordos de isenção de visto. As tarifas aéreas médias subiram 75,3% para a Austrália e 79,3% para o Japão em 2022, com forte aumento na participação de passagens de longa distância.

À medida que as companhias aéreas da região – particularmente as principais transportadoras da China – continuam a adicionar mais capacidade de rota internacional, o aumento da oferta deve ajudar a aliviar as pressões de preços na região, com previsão de aumento de ATPs de 4,8% em 2023 e 2,7% em 2024.

Alta dos custos na hotelaria

Assim como os ATPs de viagens aéreas, a taxa diária média global (ADR) para reservas de hotéis superou as previsões anteriores, subindo 29,8% em relação ao ano anterior, para US$ 161 em 2022. As taxas de ocupação foram altas, mas também os custos de mão de obra, energia e alimentos e bebidas. Na verdade, várias cidades em todo o mundo, incluindo Londres, Miami e Cingapura, relataram seus ADRs mais altos já registrados em 2022.

Enquanto isso, a construção de hotéis permanece abaixo de seu pico pré-pandêmico, gerando restrições de oferta. Com menos propriedades para competir, os hotéis existentes podem sustentar seu poder de precificação por mais tempo, mesmo que os ganhos de ADR estejam diminuindo. Os ADRs devem subir mais 4,3% em 2023, para US$ 168, seguido por um aumento de 3,6%, para US$ 174 em 2024.

A América do Norte registrou o maior crescimento em ADRs de hotéis de qualquer região em 2022, subindo 33,8% em relação ao ano anterior, para US$ 174. A ocupação na região deverá crescer em um ritmo mais lento no segundo semestre de 2023 e 2024 devido a preocupações econômicas, com previsão de aumento de 4% para US$ 181 em 2023 e 3,3% para US$ 187 em 2024.

Os ADRs na América Latina também aumentaram 26,9% em relação a 2022, já que vários países da região experimentaram inflação de dois dígitos. Agora, com a inflação parecendo ter atingido o pico, os ADRs devem crescer 9,1% em 2023 e 5,6% em 2024.

Transporte terrestre

A oferta de aluguel de carros foi restrita porque as empresas venderam veículos durante a pandemia, quando a demanda entrou em colapso. Com o retorno dos negócios, os veículos não foram substituídos, devido a problemas na cadeia de suprimentos, em grande parte devido à escassez mundial de semicondutores de veículos, o que levou ao aumento dos preços dos veículos. Esses fatores contribuíram para que os preços subissem 9,8% em 2022, no comparado com 2021, com um aumento adicional de 6,7% previsto para este ano. O crescimento dos preços deve cair para 2,1% em 2024.

Reuniões e eventos

Reuniões e eventos presenciais se recuperaram de forma mais robusta do que muitos esperavam. A aquisição de clientes e a construção de relacionamentos são os principais objetivos de negócios que não são facilmente executados virtualmente. Também houve uma demanda excepcionalmente forte por viagens de incentivo, pois as empresas buscam motivar e recompensar os funcionários. Na verdade, a CWT Meetings & Events observou que essas viagens estão se tornando mais longas e frequentes e espera que a tendência continue. O custo diário médio por participante foi de US$ 160 em 2022. Espera-se que aumente para US$ 169 em 2023 e depois para US$ 174 em 2024.

Os prazos de entrega dos eventos permanecem curtos neste mundo pós-pandemia. No entanto, os organizadores devem agora olhar para 2024 com um ciclo de planejamento de 12 meses se quiserem manter os preços em um nível razoável. Ao mesmo tempo, consolidar viagens transitórias e gastos com M&A pode dar aos compradores mais poder de influência quando se trata de negociar preços.

Sobre a previsão de viagens de negócios globais para 2024

Os números deste relatório são baseados em dados de mais de 70 milhões de passagens aéreas, mais de 125 milhões de reservas de diárias em quartos de hotel e mais de 30 milhões de locações de automóveis, abrangendo dados de 2018 até o presente. As projeções são baseadas em modelos econométricos e estatísticos, especificamente modelos ARIMA, desenvolvidos pelo Avrio Institute. O insight é fornecido pelo pessoal da CWT e pela pesquisa de mercado.

Para acessar o estudo completo, clique aqui.

Tópicos relacionados

 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA

Mais notícias