SEGURANÇA

Dois em três programas de viagens sofrem violação de dados


Unsplash / Lara Far
Quase 70% dos compradores de viagens afirmam que seus viajantes foram afetados por uma violação de dados relacionada a pagamento de fornecedores no ano passado, de acordo com pesquisa da Global Business Travel Association (GBTA) em parceria com a Air Plus International.

O levantamento foi feito com 144 compradores de viagens nos Estados Unidos e também revelou que eles acreditam que o risco de fraude está crescendo, com dois terços (68%) considerando que os programas de viagens enfrentam uma ameaça maior hoje do que há dois ou três anos.

De acordo com a GBTA, quase metade de todos os departamentos de viagens está envolvida com várias funções de segurança de pagamento. A maioria está envolvida em responder a fraudes de pagamento, educar os viajantes sobre o tema e definir políticas relacionadas à prevenção de fraudes. A pesquisa revelou ainda que o envolvimento não varia muito pelo gasto com viagens ou pelo alcance do programa (como nacional versus global).

79% dos entrevistados veem os números de cartão virtual de uso único como eficazes na prevenção de fraudes, mas apenas um quinto dos programas de viagens (20%) relatou o uso atual desse método de pagamento.

Da mesma forma, a maioria acredita que os controles de pagamento podem evitar fraudes e uso indevido, mas muitos nunca ou raramente os usam. Tais controles incluem limitar o valor alocado em uma única transação, restringir o pagamento dentro de um determinado país e estabelecer limites de gastos diários ou semanais. Quase 40% dos entrevistados nunca ou raramente limita o valor permitido em uma única transação, apesar de terem acesso à tecnologia que permitiria isso.

“Esta pesquisa destaca um contraste significativo entre o que os compradores de viagens estão dizendo e o que eles estão fazendo. No entanto, é encorajador ver um aumento no uso de cartões virtuais, o que pode ser uma arma eficaz contra fraudes”, comenta o diretor executivo e COO da GBTA, Michael W McCormick.

A presidente e CEO da Air Plus International, Diane Laschet, acrescenta: “Vimos a necessidade de educar sobre os benefícios do cartão virtual não apenas os gestores de viagens, mas também os departamentos de finanças e compras corporativas. As vantagens realmente atingem todas as áreas da empresa, do back-office ao viajante”", destaca a executiva.


*Fonte: Buying Business Travel

conteúdo original: http://bit.ly/2L5S29y
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA