Clientes da Zarpo afetados por restrições optam por remarcação

|


Divulgação/Zarpo
Club Med Rio das Pedras
Club Med Rio das Pedras
Levantamento feito pela OTA Zarpo, em março deste ano, mostra que o número de contatos de clientes que tiveram reservas afetadas aumentou quase cinco vezes quando comparado com janeiro, por viagens que aconteceriam ao longo do ano. O mesmo recorte mostra que 85% destes clientes sinalizaram preferência por remarcar ou ter o valor da compra revertidos em créditos, podendo ser usados em reservas futuras. O número demonstra que, mesmo que haja uma preocupação em viajar atualmente, a esperança de poder viajar nos próximos meses é uma realidade.

A princípio, o Zarpo prevê que o foco do turismo será hiperlocal, seguindo a tendência “staycation”, priorizando viagens de carro, por exemplo. “Para o momento de retomada, o Turismo nacional ganhará força. É difícil fazer previsão para a volta do internacional, pois são poucos os países que estão abertos para receber turistas brasileiros. Porém, como o nosso foco está em viagens nacionais, somos menos afetados pela impossibilidade de viagens para fora do País”, afirma Daniel Topper, CEO do Zarpo.

Na OTA, 80% dos clientes estão na região Sudeste e, consequentemente, as viagens para essa região representaram quase 56% das reservas feitas em março de 2021, com check-in no próprio mês, com destaque para os estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. Já entre as reservas feitas em março, mas com check-in para o segundo semestre, o Nordeste representa 57,5% das viagens, com destino para Bahia e Alagoas. Assim, os turistas esperam que no segundo semestre seja possível realizar viagens para destinos mais distantes, com deslocamento de avião.

Com o objetivo de estar 100% preparado para quando a demanda por viagens chegar, a agência aposta nos investimentos em tecnologia e aumento do portfólio de hotéis, entre outros projetos. “Com base nos resultados do ano passado, nossa tomada de decisão é muito mais assertiva, com uma projeção financeira melhor, baseada na curva da retomada do último ano”, explica o CEO do Zarpo.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA