Protocolos precisam ser mantidos. Mas já é hora de viajar, diz WTTC

|

Unsplash
As duas executivas entrevistadas pelo Portal PANROTAS, e que participaram nos últimos dias do WTTC Global Summit 2021, em Cancún, no México, usaram fenômenos intensos da natureza para uma analogia com a reviravolta que a pandemia do novo coronavírus trouxe para o mundo. E especialmente para a atividade turística.

Depois de Lizzie Cole, diretora do Conselho de Promoção Turística do Estado de Quintana Roo, lembrar que nem os furacões ou tormentas levaram tanto estrago ao destino do Caribe Mexicano, a vice-presidente do Conselho Mundial de Viagens e Turismo (WTTC), Maribel Rodriguez, usou a imagem de um tsunami para representar o que chamou de tempos sem precedentes. “A economia mundial congelou e, em consequência, as viagens internacionais também. Mas agora já começamos a ver uma luz no fim do túnel”, diz a dirigente.

WTTC
Maribel Rodriguez, VP do WTTC
Maribel Rodriguez, VP do WTTC
MUNDO EM OUTRO MODO

“Ainda é tudo muito difícil. No entanto, com a vacinação, estamos melhores”, afirma. Ela destaca que o processo de imunização é diferente de um local para outro, mas a situação vem evoluindo em diversos países, inclusive na América do Sul, onde usou o Chile como exemplo. “Mas é muito importante que todos se liguem que os protocolos precisam ser mantidos pelo bem do próprio setor”, ressalta.

Segundo Maribel, o mundo entra em um outro modo, bem mais duro do que todas as mudanças vividas pelos aeroportos após o 11 de setembro de 2001. “Haverá certificados de imunidade para os vacinados, passes verdes para destinos e empreendimentos, e os testes poderão ainda fazer parte do dia a dia de viajantes”, continua.

CAMINHOS VIRÃO JUNTOS
Sobre o momento atual, muito melhor do que antes, ela garante: “ainda estamos em risco e é preciso fazer todo o necessário para garantir a segurança das pessoas”. No entanto, de acordo com Maribel, é precisa seguir em frente. “Acreditamos que esse é o momento. E o WTTC Global Summit (que terminou nesta terça-feira, 27), foi o evento para mostrar isso. Que com segurança e os protocolos é possível voltar a viajar. As pessoas querem muito e a indústria precisa”, afirma.

Ela também não deixa de lado a recuperação das empresas, especialmente as de pequeno porte. “CEOs e grandes executivos de todos os setores do Turismo estiveram reunidos, com todos os cuidados. Todo mundo quer respostas, saber e pensar os próximos passos. Grandes trabalharão com pequenos. Nós acreditamos que as soluções e caminhos serão encontrados juntos”, diz Maribel.

Daí a importância de um evento como a Global Summit, em que as pessoas, dos mais diversos países, voltaram a se encontrar. “Precisamos mostrar que é possível nos reunir com segurança. Mas principalmente, que podemos voltar viajar”, conclui.

Segundo estudos do WTTC, com a reativação das viagens até o verão no Hemisfério Norte, o setor poderá crescer cerca de 50% na contribuição com o PIB mundial, depois da perda trilionária do ano passado.

Fabíola Bemfeito para o Portal PANROTAS
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA